CulturaInternacionalTecnologia

Como foram lá parar? Ossos de crocodilo encontrados no deserto de Israel

Os arqueólogos ficaram perplexos ao encontrarem ossos de crocodilo no deserto em Israel. A incrível descoberta foi feita por cientistas da Universidade de Haifa na região de Neguev – uma área desértica no sul do país.

Os resultados da descoberta foram publicados no jornal Scientific Reports. A equipe de investigadores, liderada pelo professor Guy Bar-Oz, disse que a descoberta prova que uma civilização antiga, eventualmente desaparecida, teria vivido ali.

Para além dos ossos de crocodilo, também foram encontrados restos de ovelhas, cabras e antílopes africanos. Mas o mistério envolve os restos do réptil, que são um achado único.

View image on Twitter
Existem várias especulações de como o animal foi parar no deserto, com teorias de que podia ter sido trazido do Nilo e usado em algum tipo de cerimônia ou até mesmo comido.

“Os crocodilos eram venerados no Egito e, na época romana, há referências de terem sido levados para Roma e mantidos em piscinas especiais com plataformas”, refere o estudo.

No próprio Egito, em Manfalut, foi encontrada uma armadura romana de pele de crocodilo, sugerindo talvez a adoção de cultos locais de crocodilo por legionários; um texto egípcio contemporâneo de Ateneu menciona o crocodilo assado como “um prato mais delicado”, indicando que o seu uso era também culinário, informa Daily Star.

A presença de pele de crocodilo nos restos encontrados em Shivta [sítio arqueológico no deserto de Neguev] pode sugerir que a pele do crocodilo era mais usada do que a carne.

O uso da pele de crocodilo poderia ter sido muito amplo e variar desde a utilização como apetrechos em rituais até como meio de destacar o status social.

Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios