Lava JatoPolítica

Antes de morrer, delegado confirmou acusações de Marcos Valério e conchavo entre PT e PSDB

Responsável pela delação de Marcos Valério – homologada parcialmente por Celso de Mello em 2018 -, o delegado da Polícia Civil Rodrigo Bossi morreu de câncer, aos 51 anos, em 1º de janeiro.

Dois meses antes, Bossi prestou depoimento à Justiça em Minas Gerais, no âmbito de um processo envolvendo o lobista Nilton Monteiro.

Nesse depoimento, obtido por O Antagonista, o delegado ressalta que estava limitado ao acordo de confidencialidade da colaboração, mas confirma o conteúdo dos depoimentos do ex-publicitário pivô do escândalo do mensalão.

“O que eu sei hoje que está contido no acordo de colaboração do Marcos Valério é a maior organização criminosa feita para perseguir opositores”, com uso de “fraude processual, falsas perícias, desaparecimento de autos, desaparecimento de documentos.”

Bossi acusa o Ministério Público de negligência, e a Polícia Federal, de sonegar informações. E comenta que sua participação no acordo firmado com a Polícia Federal foi uma exigência do próprio Valério.

“O primeiro dia que o Marcos Valério chegou lá na delegacia e falou assim: Dr. eu quero fechar o acordo só com o Sr., porque a Polícia Federal está sonegando informações de você e eu quero abrir uma segunda via.”

Na versão do delegado, o esquema começou em 1998. Segundo ele, Nilton Monteiro era operador do ex-deputado Sérgio Augusto Naya, que emprestava dinheiro para políticos. Quando o edifício Palace II caiu, Naya ficou exposto e “passou todos esses créditos para o nome do Nilton Monteiro”.

Segundo Bossi, Nilton ficou responsável por cobrar os empréstimos de políticos, como Eduardo Azeredo. Como o tucano não pagou, ele denunciou o esquema. “Ele exigiu dinheiro muitas vezes, inclusive ele alertou o Azeredo de que ia entregar o esquema se não pagasse. E entregou.”

Para o delegado falecido, as perícias da Lista de Furnas e de outras relações de autoridades foram forjadas para que Monteiro fosse desacreditado e a CPI dos Correios não enveredasse para o esquema tucano. “Eu tenho muito mais coisas para falar sobre o conchavo político, entendeu? Entre PT e PSDB que o sr. nem imagina.”

  • POR: ANTAGONISTA 
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios