Economia

Após recorde na véspera, dólar fecha em queda com atuação do Banco Central

Nesta quinta-feira (13), dólar recuou 0,38%, a R$ 4,3339. Na quarta, moeda dos EUA fechou a R$ 4,35 maior cotação nominal (sem considerar a inflação).

O dólar fechou em queda nesta quinta-feira (13), após abrir o dia em alta e chegando a alcançar a cotação de R$ 4,38. Cerca de uma hora após o início dos negócios, no entanto, a moeda mudou de rumo e passou a cair, depois que o Banco Central (BC) anunciou um leilão extra de contratos de swap cambial.

A moeda norte-americana encerrou o dia vendida a R$ 4,3339, em uma queda de 0,38%. Na máxima do dia, chegou a R$ 4,3830. Já o dólar turismo fechou a R$ 4,52, sem considerar o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). .

Na véspera, o dólar encerrou o dia vendido a R$ 4,3505, em alta de 0,55%. No mês, o dólar acumula valorização de 1,14% e, no ano, de 8,08%.

Leilão de swap

O Banco Central vendeu nesta quinta-feira todos os contratos de swap tradicional da oferta de até 20 mil, com vencimentos em agosto, outubro e dezembro de 2020, num leilão que se seguiu à disparada do dólar à máxima histórica de R$ 4,38.

Por meio dos contratos de “swap cambial”, o BC realiza uma operação que equivale à uma venda de moeda no mercado futuro (derivativos), o que reduz a pressão sobre a alta da moeda.

Os swaps são contratos para troca de riscos: o BC oferece um contrato de venda de dólares, com data de encerramento definida, mas não entrega a moeda norte-americana. No vencimento desses contratos, o investidor se compromete a pagar uma taxa de juros sobre o valor deles e recebe do BC a variação do dólar no mesmo período.

Esses contratos servem também para dar “proteção” aos agentes que têm dívida em moeda estrangeira – neste caso, quando o dólar sobe, eles recebem sua variação do BC.

Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios