JustiçaPolítica

Aras diz que MP deve ‘induzir políticas públicas’ e que começa a montar equipe

Novo chefe da PGR tomou posse em uma rápida cerimônia no Palácio do Planalto

BRASÍLIA – O novo procurador-geral da República Augusto Ara s tomou posse do cargo nesta quinta-feira, em uma rápida cerimônia no Palácio do Planalto, afirmou que o Ministério Público deve “induzir políticas públicas” e disse que começará a montagem de sua equipe.

A indicação de Aras foi aprovada ontem pelo Senado, por 68 votos favoráveis e 10 contrários, e ele foi nomeado por meio de uma edição extra do Diário Oficial ainda na noite de quarta-feira. Nesta quinta, o presidente Jair Bolsonaro deu posse formalmente ao novo PGR e Aras já pode começar a exercer suas funções.
Aras afirma que já irá hoje para a Procuradoria-Geral da República dar início aos trabalhos de sua gestão. O novo PGR não participará do julgamento em curso no Supremo Tribunal Federal sobre a ordem das alegações finais dos delatores e dos réus da Lava-Jato, que pode anular parte dos processos da operação. Aras delegou para a função o seu antecessor interino no cargo, Alcides Martins, que participou do início do julgamento ontem e prosseguirá no caso hoje.

– A partir de hoje começo a reorganizar os trabalhos administrativos. Estarei reunido até o final da tarde, quiçá à noite, com os colegas para pensar a estrutura desta PGR, porque nós queremos um Ministério Público Federal moderno — afirmou à imprensa após a cerimônia.
Dentre os nomes cotados para sua gestão estão do subprocurador Bonifácio de Andrade, que pode ser o vice-procurador-geral, e o atual vice-procurador-geral-eleitoral Humberto Jacques, que deve permanecer no cargo. Também estão cotados o procurador Ailton Benedito, que havia sido convidado por Bolsonaro para a Comissão de Mortos e Desaparecidos do governo, e o procurador Guilherme Schelb. O único nome já anunciado é do secretário-geral Eitel Santiago, subprocurador aposentado que já escreveu um artigo definindo o golpe militar de 1964 como “revolução”.

Em seu discurso, Aras não falou sobre Operação Lava-Jato e afirmou que a tônica de sua gestão será o “diálogo”.

– Saibam que a nota forte desta nova gestão há de ser o diálogo, e por esse diálogo eu entendo que poderemos contribuir para solucionar os grandes problemas do Brasil. Contem comigo porque a vontade é de servir à pátria – discursou Aras.

O novo PGR afirmou que buscará pautar sua conduta na Constituição e que o papel do Ministério Público deve ser o de “induzir políticas públicas econômicas, políticas públicas sociais, em defesa das minorias, e acima de tudo, que tudo se faça com respeito à dignidade da pessoa humana”.

Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios