Política

Augusto Heleno diz que Bolsonaro não demonstrou apoio para recriação do Ministério de Segurança Pública

'Em nenhum momento, o presidente disse apoiar tal iniciativa', escreveu o chefe do Gabinete de Segurança Institucional nas redes sociais; mais cedo, presidente anunciou que estudava a reabertura da pasta

RIO — O chefe do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, afirmou que o presidente Jair Bolsonaro não demonstrou apoio para recriar o Ministério de Segurança Pública. Pelas redes sociais, o general da reserva disse que Bolsonaro apenas enviará a ideia aos demais ministros do governo. Mais cedo, o presidente anunciou que estudava a abertura da pasta.

— Em nenhum momento, o Presidente disse apoiar tal iniciativa. Apenas, educadamente, disse que enviaria a seus ministros, para estudo, entre eles o Ministro Sérgio Moro — escreveu Heleno no Twitter.

 

A publicação do general da reserva foi compartilhada pelo próprio presidente e seu filho mais velho, Flávio Bolsonaro. A recriação da pasta de Segurança Pública foi uma das pauta do encontro de Bolsonaro com secretários de 16 estados, na última quarta-feira. Heleno também participou da reunião.

Nesta quinta-feira, após confirmar que estudava a recriação do ministério, o presidente admitiu que o ministro da Justiça, Sergio Moro,  poderia contrário à ideia, já que veria seu “superministério” separado em dois.

Ainda na publicação de Heleno, o chefe do gabinete de segurança disse que, mesmo ouvindo os demais ministros, cabe a Bolsonaro “dar a palavra final”:

— O que alguns não entendem é que o Presidente é o CAPITĀO DO TIME, ele escalou seus 22 ministros. As decisões são tomadas, ouvindo os ministros, mas cabe a ele, como Comandante, dar a palavra final, mesmo que isso contrarie alguns dos seus assessores ou eleitores.

 

Via
POR: O GLOBO
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios