Mundo

Bagdá pede envio de missão dos EUA para organizar retirada das tropas

Medida foi aprovada pelo Parlamento do Iraque

O primeiro-ministro iraquiano demissionário, Adel Abdel Mahdi, pediu ao secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, que envie uma delegação para organizar a retirada dos soldados norte-americanos do Iraque. A retirada é uma reivindicação do Parlamento do país.

Depois do ataque feito pelos Estados Unidos, há uma semana em Bagdá, em que morreu general iraniano Qassem Soleimani e o “número dois” das Forças de Mobilização Popular (Hachd al-Chaabi), Abu Mehdi al-Muhandis, o sentimento antiamericano aumentou no país árabe.

O Parlamento iraquiano aprovou um pedido para a saída dos soldados estrangeiros do Iraque, incluindo os cerca de 5.200 norte-americanos. O assunto foi tratado, por telefone, pelo primeiro-ministro iraquiano e o secretário norte-americano nessa quinta-feira(9) à noite.

Ele “pediu que sejam enviados representantes ao Iraque para implementar os mecanismos necessários ao cumprimento da decisão do Parlamento, visando a uma retirada segura das tropas do Iraque”, diz comunicado do gabinete do chefe do governo, cujo substituto ainda não foi nomeado.

“O primeiro-ministro afirmou que as forças norte-americanas entraram no Iraque e os drones (aviões não tripulados) voam em seu espaço aéreo sem permissão das autoridades iraquianas, numa violação dos acordos bilaterais”, acrescenta.

Oficialmente, Washington assegura não ter qualquer plano de retirada, mas uma confusão recente criou a dúvida. Em carta às autoridades em Bagdá, o Comando norte-americano no Iraque informou do início da retirada, garantindo depois que se tratava de um “rascunho” enviado por engano.

*Emissora pública de televisão de Portugal

Via
POR: EBC
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios