Economia

Banco Central: possibilidade de 2ª onda da pandemia é principal risco nas economias centrais

O Banco Central afirmou nesta terça-feira, 11, por meio da ata do último encontro do Comitê de Política Monetária (Copom), que a possibilidade de uma segunda onda de contágio de covid-19 é o principal risco para a recuperação das economias centrais. Essa seria a principal restrição a uma retomada plena da atividade nesses países.

Na semana passada, o colegiado reduziu a Selic em 0,25 ponto porcentual, de 2,25% para 2,00% ao ano.

De acordo com o documento, os indicadores externos sobre o segundo trimestre não surpreenderam, mas sim evidenciaram que profundidade da crise atual só seria comparável com a Grande Depressão.

Leia mais:

“Nesse contexto, apesar de alguns sinais promissores de retomada da atividade nas principais economias e de alguma moderação na volatilidade dos ativos financeiros, o ambiente para as economias emergentes segue desafiador”, repetiu o BC.

“Há alguns sinais promissores de recuperação que, contudo, se mostra incompleta: a forte retomada no consumo de bens não é acompanhada no setor de serviços”, completou a ata.

Via
POR: FOLHAPRESS

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios