DestaqueEducação

Bolsonaro altera regulamento para permitir que bombeiros e policiais atuem em escolas cívico-militares

Proposta anunciada neste mês pelo Ministério da Educação é construir 108 escolas neste modelo até 2023.

Um decreto do presidente Jair Bolsonaro publicado na edição desta quinta-feira (25) do “Diário Oficial da União” alterou o regulamento das Polícias Militares e do Corpo de Bombeiros para permitir que esses profissionais atuem nas escolas cívico-militares.

Agora, é considerado “exercício de função” atuar em “instituições de ensino públicas do sistema estadual, distrital ou municipal de educação básica”. O mesmo decreto também autoriza que os policiais e bombeiros possam atuar em unidades de conservação.

A escola cívico-militar é um modelo proposto pelo governo federal de gestão compartilhada entre educadores e militares. A proposta consta no documento “Compromisso Nacional pela Educação Básica”, que lista os objetivos de gestão na área e foi anunciada em 11 de junho. A ideia é construir, até 2023, 108 escolas neste modelo em cada uma das unidades da federação.

De acordo com o Ministério da Educação, as secretarias de educação continuariam responsáveis pelos currículos escolares e os militares atuarão como monitores na gestão educacional. “A organização didático-pedagógica, assim como financeira, fica por conta dos civis”, afirma o MEC.

  • 4% consideram prioridade ampliar as escolas militares no país, diz pesquisa

Compromisso pela Educação Básica

Confira os principais pontos da “carta-compromisso” divulgada no dia 11 pelo Ministério da Educação:

  • Tornar o Brasil referência em educação básica na América Latina até 2030
  • Construir 4,9 mil creches até 2022, reestruturando o programa Pró-Infância. Segundo o MEC, menos de 50% das obras previstas foram concluídas desde 2007.
  • Revitalizar o programa Novo Mais Educação, ampliando a carga horária dos colégios públicos para “diminuir a evasão e melhorar indicadores educacionais”.
  • Estimular a adesão ao Novo Ensino Médio, com investimentos de R$ 230 milhões até o fim do ano.
  • Conectar 6,5 mil escolas rurais em todos os estados à internet, com banda larga por satélite. O MEC prevê investimento de R$ 120 milhões até dezembro, beneficiando 1,7 milhão de estudantes.
  • Implementar 108 escolas cívico-militares no país até 2023. Segundo o MEC, o ritmo será de 27 ao ano – uma para cada unidade da Federação. Nesse modelo, a gestão da escola é compartilhada entre professores, na parte pedagógica, e militares, em administração e disciplina.
  • Estabelecer trilhas de formação de professores da educação básica até 2020, por meio de “cursos de ensino à distância com a disponibilização e materiais de apoio e disponibilização de recursos”.
Decreto do presidente Jair Bolsonaro sobre policiais e bombeiros nas escolas cívico-militares — Foto: Reprodução/Diário Oficial da União

Decreto do presidente Jair Bolsonaro sobre policiais e bombeiros nas escolas cívico-militares — Foto: Reprodução/Diário Oficial da União

Via
G1
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios