DestaqueEconomiaGeral

Bolsonaro autoriza pequenas empresas a atuarem no mercado de crédito

O presidente Jair Bolsonaro sancionou nesta quarta-feira (24) o projeto de lei que cria a empresa simples de crédito. A nova legislação vai autorizar qualquer empresário a emprestar dinheiro, tendo como limite a receita bruta anual de R$ 4,8 milhões.

A ideia é que esses empreendedores possam assumir parte da demanda por crédito em cidades pequenas, onde a oferta pelos grandes bancos é limitada, segundo Guilherme Afif Domingos, ex-presidente do Sebrae, hoje assessor especial do Ministério da Economia e um dos formuladores do projeto.

Segundo seus cálculos, a medida poderá ampliar a oferta de crédito em R$ 20 bilhões, tendo em conta a criação de 1.000 empresas simples de crédito com capital próprio médio de R$ 2 milhões.

Antes de ser sancionado, o projeto foi vetado duas vezes, nos governos Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (MDB), devido à resistência do Banco Central.

Dessa vez, o texto recebeu sinal verde após retirar a possibilidade de revenda da carteira de crédito (securitização) pelos empresários, o que poderia provocar risco de calote em cadeia e afetar o sistema financeiro.

Com o novo formato, o BC não é responsável por regular este mercado, pois as empresas só poderão emprestar capital próprio. A única fiscalização ocorrerá por meio da receita Federal, que controlará o limite de empréstimos através do acompanhamento da receita obtida com operações de crédito.

A previsão é que o novo formato atraia principalmente as empresas que hoje atuam no mercado de factoring (que adiantam contas a receber a pequenos lojistas e industriais em troca de uma comissão). Para ser uma empresa simples de crédito, será necessário ter um CNPJ específico para esta atuação. A empresa não terá regime tributário diferenciado do Simples e os sócios poderão ser donos de apenas uma empresa desta natureza.

Os empréstimos só poderão ser concedidos a pequenas e microempresas, além de empreendedores do regime do MEI (microempreendor individual). A previsão é que sejam feitas operações de crédito de cerca de R$ 15 mil.

Após cerimônia de sanção no Palácio do Planalto, da qual participaram o presidente Bolsonaro e os ministros Paulo Guedes e Roberto Campos Neto (presidente do Banco Central), Afif afirmou que a expectativa é que a iniciativa ajude a baixar os juros, com a maior competição.

“Temos hoje um oligopólio do sistema financeiro. Quando há mais oferta, o preço cai”, afirmou.
Ele acrescentou que a maior parte das pequenas e microempresas se financiam hoje ou com fornecedores ou com as linhas mais caras de crédito bancário, como cheque especial.

“O microempresário está hoje nas mãos da agiotagem oficial “, disse.

O novo presidente do Sebrae, Carlos Melles, afirmou que a medida poderá ajudar a “fulanizar” o crédito, ao permitir a formalização de operações entre pequenos empreendedores que já se conhecem.

Via
Por Folhapress
Tags

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios