Política

Bolsonaro diz a secretários que estudará recriação do Ministério da Segurança Pública

Secretários estaduais foram recebidos pelo presidente e pediram recriação da pasta. Atualmente, Justiça e Segurança estão em um mesmo ministério, comandado por Sérgio Moro.

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira (22), em reunião com secretários estaduais de Segurança, que analisará a recriação do Ministério da Segurança Pública.

Junto com pedidos por mais recursos, a sugestão foi levada a Bolsonaro pelos secretários em audiência com o presidente no Palácio do Planalto. Em resposta, Bolsonaro disse que estudará o tema e dará uma resposta “o mais rápido possível”.

O Ministério da Segurança Pública foi criado em fevereiro de 2018 pelo então presidente Michel Temer, a partir de um desmembramento do Ministério da Justiça. Comandada pelo ex-deputado Raul Jungmann, a pasta ficou responsável por Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e Força Nacional de Segurança.

Ao assumir a Presidência, em 2019, Bolsonaro optou por reunir novamente Justiça e Segurança em uma única pasta, chefiada pelo ministro Sérgio Moro. Agora, o presidente pode rever o modelo.

De acordo com o Palácio do Planalto, Moro não participou da reunião com os secretários estaduais. Segundo a assessoria, ele foi recebido em audiência por Bolsonaro pela manhã. O Ministério da Justiça informou que Moro não participou do encontro com os secretários porque estava em uma reunião sobre crimes cibernéticos com representantes do governo dos Estados Unidos.

A reunião de Bolsonaro com os secretários foi transmitida por meio da página do presidente em uma rede social. Ele comandou a reunião ao lado dos ministros Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), Jorge Oliveira (Secretaria-Geral) e Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional).

Na transmissão, Bolsonaro citou as demandas apresentadas e questionou os secretários sobre o retorno da pasta da Segurança.

“[A série de demandas] passa pela isenção de IPI para material de segurança, passa por questões de telefonia, passa por mais recursos com fundos, e em uma proposta também que trouxeram aqui, que seria a possibilidade da recriação do Ministério da Segurança”, disse Bolsonaro, que complementou:

“Talvez, pelo anseio popular de ter dificuldade nessa área, de ser talvez o ponto mais sensível em cada estado, essa possível recriação poderia melhor gerir a questão da segurança. É esse o entendimento dos senhores?”, indagou. Os secretários responderam ao presidente: “Exatamente”. Bolsonaro então afirmou que estudará todas as demandas apresentadas.

“Então, a gente vai estudar. Estudaremos essas questões aqui e daremos uma resposta o mais rápido possível”, disse o presidente.

O secretário de Segurança da Bahia, Maurício Teles Barbosa, que lidera o colégio nacional de secretários da área, afirmou que seria “oportuno” o estudo pelo governo federal de novas formas de financiamento para o setor. Ele aproveitou a fala para sugerir o retorno de um ministério exclusivo para segurança.

“Temos que tentar de uma certa forma dar um olhar pouco mais próximo à pasta da Segurança para que a gente tenha essas questões sendo tratadas de uma forma direta”, disse Barbosa.

Secretários participantes.

Além de Bolsonaro e ministros, participaram da reunião, segundo informou o Planalto, os seguintes secretários estaduais:

  • Anderson Gustavo Torres, secretário de Segurança do Distrito Federal;
  • Louismar Bonates, secretário de Segurança do Amazonas;
  • Maurício Teles Barbosa, secretário de Segurança da Bahia;
  • Rodnei Rocha Miranda, secretário de Segurança de Goiás;
  • Jeferson Miler Portela e Silva, secretário de Segurança do Maranhão;
  • Alexandre Bustamante, secretário de Segurança do Mato Grosso;
  • Antonio Carlos Videira, secretário de Justiça do Mato Grosso do Sul;
  • Ualame Fialho Machado, secretário de Segurança do Pará;
  • Antônio de Pádua Cavalcanti, secretário de Defesa Social de Pernambuco;
  • Rômulo Marinho Soares, secretário de Segurança do Paraná;
  • Márcio Pereira Basílio, secretário-geral da PM do Rio de Janeiro;
  • Mário Alves de Araújo, secretário de Segurança de Minas Gerais;
  • Flávio Marcos Amaral, Secretário de Gestão Administrativa da Polícia Civil Rio de Janeiro;
  • José Hélio Cysneiro Pachá, secretário de Segurança de Rondônia;
  • Olivan Pereira de Melo Júnior, secretário de Segurança de Roraima;
  • Paulo Norberto Koerich, secretário de Segurança de Santa Catarina;
  • José Pereira de Andrade Filho, secretário-adjunto de Segurança de Sergipe;
  • Moacir Almeida Simões, secretário do Conselho Nacional de Segurança Pública.
Via
POR: G1
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios