Política

Bolsonaro volta a defender excludente de ilicitude durante vigência de missões de GLO

Em entrevista, presidente falou sobre criticas ao Ministério da Educação

Em entrevista ontem, no início da madrugada, ao “Jornal da Record”, o presidente Jair Bolsonaro falou sobre segurança pública. Ele comentou ainda as críticas ao Ministério da Educação e à escolha de Sérgio Nascimento de Camargo para o comando da Fundação Palmares.

Veja também: Príncipe Andrew: As novas acusações sobre o escândalo sexual que abala a família real

Ao ser perguntado sobre o envio de projetos de segurança ao Congresso, Bolsonaro ressaltou que o principal trata do excludente de ilicitude durante missões de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) .

Se assinar o decreto, a tropa de segurança vai pra lá. Entra as Forças Armadas, Polícia Federal, Polícia Civil, Polícia Militar e PRF. Nessas condições, eu quero que esse pessoal vá pra fazer valer a sua força para recuperar a normalidade — afirmou Bolsonaro. — Essa força tem que chegar para se impor. E não pode chegar pra se impor e o policial responder por um processo e ser condenado a 30 anos de cadeia.

O presidente também foi perguntado sobre as críticas ao Ministério da Educação. No fim do mês passado, uma comissão da Câmara dos Deputados apontou paralisia e ineficiência na gestão.

O Ministério da Educação tem mais de 300 mil servidores. No governo Dilma (Rousseff) foram contratados mais de cem mil servidores. O PT usou as universidades como uma fábrica de militantes. E não é fácil reverter tudo isso, nos últimos 16 anos. Nas provas do Pisa (avaliação escolar internacional, promovida pela OCDE), que pega o ensino fundamental, nada cresceu, muito pelo contrário, na última prova no início desse ano e querem botar na minha conta que o Brasil caiu mais ainda. A partir do próximo triênio, aí sim fica sobre a nossa responsabilidade.

Veja também: Força-Tarefa de Intervenção Penitenciária fica mais 60 dias em Roraima

Bolsonaro afirmou ainda que os temas e questões em provas do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) já começaram a seguir para o lado de interesse público. E que o ministro da Educação, Abraham Weintraub, tem desenvolvido um “bom trabalho”.

O próprio Enem. Acabaram aquelas perguntas esquisitas, diferentes, que os pais não gostavam e que atentavam contra os valores familiares. Acabaram aquelas perguntas sobre mentiras do período de 64 a 85. Era muita mentira pregada ali. Então, os temas já começam a voltar pro lado de interesse público como um todo. Ele, Abraham Weintraub está fazendo um bom trabalho e deve continuar assim. Essa crítica do parlamento, vem por parte de que grupo parlamentar? De que partido. Tem que ver isso para saber se procede ou não.

Bolsonaro comentou ainda a polêmica que cerca o novo presidente da Fundação Palmares, cuja declaração negou a existência de racismo no Brasil.

Eu adotei uma política de que cada ministro é 100% responsável pelo seu ministério. No caso, a Cultura está no ministério de Turismo e o secretário de Cultura é o Roberto Alvim. Ainda não conversamos sobre isso, mas ao meu ver foi deturpado o que ele falou.

Veja também: Bolívia apreende 205 kg de cocaína que seriam enviados ao Brasil

Via
O GLOBO
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios