Política

BR-163 é concluída pelo Exército Brasileiro

Um dia histórico! Foi assim que o Exército Brasileiro começou o comunicado que anunciou o fim da obra de pavimentação asfáltica da BR-163, do trecho que liga Mato Grosso ao município de Miritituba, no Pará. A via foi aberta em 1976 e, desde então, mato-grossenses e paraenses tinham um único desejo: vê-la pavimentada.

Veja também: Submetidas a ‘hackers’ por 5 dias, urnas eletrônicas têm só duas falhas superficiais, informa TSE

No último sábado, 23, o Exército concluiu a obra da principal via terrestre de escoamento de grãos das safras de Mato Grosso para os portos do Norte do país. A promessa de campanha do presidente Jair Bolsonaro (PSL) fora cumprida para alívio dos caminhoneiros que ali transitam.

Em março de 2017, o LIVRE acompanhou o drama de dezenas de profissionais e de famílias inteiras que ali ficaram, em um atoleiro, por mais de quinze dias. Faltaram mantimentos, condições de higiene adequadas e até leite para os pequenos que acompanhavam os pais. Histórias tristes.

Há ainda a história da caminhoneira Elizandra, que perdeu a própria festa de 50 anos, mas ao lado da cachorrinha Belinha, recebeu os parabéns dos amigos da estrada embaixo de uma árvore à beira da via. E do Vanderley, o último caminhoneiro da fila quilométrica.

Histórias como essas não devem se repetir no auge da colheita da safra 19/20. O feito foi comemorado pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, em sua conta no Twitter. “Promessa cumprida”, escreveu.

Veja também: PMs da Subsecretaria de Inteligência prenderam comerciante que não pagou propina, revelou investigação

Segundo o Exercito Brasileiro, agora o usuário não percorrerá mais estrada de chão. Mas, para que a obra seja de fato finalizada, ainda faltam duas faixas laterias de 1,5 mil metros cada.

FONTE: METRÓPOLES LIVRE 

Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios