Política

Bruno Covas vai contratar pesquisa por R$ 1,8 milhão

A menos de um ano do início da campanha eleitoral, a Secretaria de Comunicação da gestão Bruno Covas (PSDB) lançou licitação para contratar uma empresa para mapear a percepção que o paulistano tem da qualidade dos serviços prestados pela Prefeitura de São Paulo. O edital fala em 25 mil entrevistas presenciais e por telefone, sobre oito áreas do governo. Paga com recursos do tesouro municipal, ela está orçada em R$ 1,8 milhão.

A oposição do prefeito na Câmara já fala em “ilegalidade com fins eleitoreiros” e estuda formas de impedir a contratação na Justiça. “Se fosse uma pesquisa feita pelo partido dele, com recursos do Fundo Partidário, acho que seria tudo bem. Mas, com recursos públicos, não. Estamos estudando o caso”, disse o vereador Alfredinho (PT), líder da oposição na Câmara Municipal.

A ilegalidade, entretanto, só é clara caso, em meio a perguntas sobre a qualidade dos serviços públicos, haja perguntas de cunho eleitoral, segundo afirma o advogado Adib Kassouf Sad, ex-presidente da comissão de Direito Administrativo da seção São Paulo da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-SP). “Depende da pesquisa”, afirma. “Se ela pergunta em quem o cidadão votará para prefeito, aí nitidamente há um desvio”, afirma.

A resistência da oposição, entretanto, não reflete posição do centro da Câmara Municipal sobre o tema. O vereador José Police Neto (PSD), por sua vez, afirma que é positivo a administração municipal ter ferramentas para avaliar o nível de satisfação do munícipe com a qualidade dos serviços prestados pelo governo. “Pena que demorou tanto”, diz. “Indicadores de desempenho são fundamentais” para analisar o êxito de políticas públicas, na avaliação do parlamentar para determinar mudanças. Police é autor de lei, aprovada em 2006, que determinou a criação de indicadores de desempenho na cidade, que até nunca foi implementada.

O termo de referência do edital da licitação fala em pesquisas sobre os temas saúde, zeladoria, mobilidade urbana, cultura, esporte, habitação e transportes. Covas é candidato à reeleição e tem tido de responder a desconfianças de aliados quanto a sua capacidade de vencer a disputa no ano que vem. Correligionários afirmaram desconhecer a proposta, publicada no Diário Oficial da Cidade há uma semana. “Não sei dessa contratação”, disse o líder do governo na Câmara, Fabio Riva (PSDB).

Na cidade, há serviços, como o atendimento 156, de reclamações, que avaliam a satisfação com o atendimento prestado.

Metas

Por meio de nota, a gestão Covas afirma que a avaliação da qualidade dos serviços é um dos objetivos delimitados no Plano de Metas do governo.

No texto, a equipe do governo refuta “rechaça qualquer ilação de que essas pesquisas tenham conotação política ou eleitoral”. Ainda segundo a nota, decreto de 2018 criou a Política Municipal de Atendimento ao Cidadão, e os resultados da pesquisa serão públicos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios