Esportes

Caixa pede bloqueio das contas da arena do Corinthians

Se juiz aprovar, as contas da empresa ficam bloqueadas até atingir o limite da dívida total, de R$ 536 milhões

A Caixa Econômica Federal pediu o bloqueio online das contas da Arena Itaquera S/A por causa da dívida do financiamento do estádio. O juiz Victorio Giuzio Neto, da 24ª Cível Federal de São Paulo, deve se pronunciar nos próximos dias.

Veja também: Processo de expulsão de coronel pedófilo da PM é suspenso; salário é de R$ 34 mil

O pedido foi feito na semana passada, dia 23, e acontece depois de o Corinthians não indicar judicialmente como fará o pagamento da dívida processual e também não indicar bens à penhora. Se o juiz aprovar, as contas da empresa ficam bloqueadas até atingir o limite da dívida total, de R$ 536 milhões.

O departamento jurídico do Corinthians corre contra o tempo para tentar o efeito suspensivo na cobrança da dívida executada. A intenção do clube é interromper o processo enquanto renegocia com a Caixa o financiamento. A diretoria jurídica do clube e do banco já começaram a conversar sobra a pendência.

Veja também: Caso Aline: suspeito de matar jovem que saiu de casa para comprar fraldas é preso

O entrave inicial é sobre o parcelamento atrasado dos meses de junho e julho, período que a Arena Corinthians recebeu a Copa América e ficou sem arrecadar – a bilheteria da competição é da Conmebol. O presidente do clube, Andrés Sanchez, alega que havia acordo verbal para não pagar por esses meses. A Caixa ignora essa informação.

O banco reclama no processo que o Corinthians só pagou as parcelas de janeiro e de fevereiro deste ano e iniciou a dívida a partir de março. O clube informa que há essa divergência pois vinha cumprindo um acerto verbal.

Veja também: STF aprova por 7 votos a 4 tese que pode levar à anulação de sentenças da Operação Lava Jato

Andrés havia acertado no ano passado novo parcelamento da dívida, mas o acordo não foi assinado. No combinado, que teria validade até 2028, o Corinthians pagaria parcelas mensais de R$ 6 milhões, de março a outubro de cada temporada, e R$ 2,5 milhões entre novembro e fevereiro, período em que há um menor número de jogos no calendário do futebol brasileiro.

Na segunda-feira, Andrés se reuniu com conselheiros do clube, no Parque São Jorge, para explicar a dívida. No encontro ele prometeu um novo acordo com a Caixa. Há outro conflito entre Corinthians e o banco. O clube diz que deve R$ 470 milhões, enquanto o banco afirma que ainda precisa receber R$ 536 milhões – ou seja, uma diferença de R$ 66 milhões.

No último dia 17, a Justiça acatou o pedido da Caixa para incluir o nome da Arena Itaquera S/A, que administra o estádio do Corinthians, no cadastro de inadimplentes da Serasa.

A Caixa emprestou inicialmente R$ 400 milhões ao Corinthians para a construção do estádio em Itaquera. Desde o início do financiamento, em 2014, o clube pagou cerca de R$ 170 milhões, sendo R$ 80 milhões de fevereiro de 2018 até agora.

Via
Estadão
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios