Internacional

Campanha de ex-presidente da Colômbia é investigada no caso Odebrecht

O órgão de vigilância eleitoral da Colômbia anunciou nesta terça-feira que abriu uma investigação preliminar sobre a campanha à reeleição do então presidente Juan Manuel Santos em 2014, por suposto financiamento ilícito do grupo brasileiro Odebrecht.

O Conselho Nacional Eleitoral (CNE) “abriu uma indagação preliminar (…) com a finalidade de estabelecer a existência de novos fatos que possam ser objeto de investigação”, informou o órgão.

Após receber novos elementos, a autoridade reabriu o caso arquivado em agosto de 2018 sobre possíveis infrações “ao regime de financiamento de campanhas” na eleição de 2014, na qual Santos derrotou no segundo turno Óscar Iván Zuluaga.

O CNE obteve o testemunho do empresário Andrés Sanmiguel, que admitiu ter recebido dinheiro da Odebrecht destinado à campanha de Santos, disse à AFP uma fonte do organismo.

A legislação colombiana proíbe que empresas estrangeiras financiem campanhas políticas, e o CNE tem autoridade para impor sanções administrativas a partidos e movimentos, como multas ou cancelamento do registro.

Contra Santos também há um processo na Comissão de Investigação da Câmara de Representantes, que em junho abriu um processo preliminar contra o Nobel de Paz para esclarecer se recebeu dinheiro da Odebrecht na campanha de 2014.

O ex-senador Bernardo Miguel Elías, outrora aliado de Santos, afirmou em entrevista à jornalista Vicky Dávila que participou da operação para obter recursos da Odebrecht para a campanha da reeleição.

A Corte Suprema de Justiça condenou Eliás a seis anos e oito meses de prisão em fevereiro de 2018, por sua participação no caso Odebrecht.

O então gerente da campanha de Santos em 2014, Roberto Prieto, foi condenado em maio a cinco anos de prisão por receber dinheiro da Odebrecht.

Santos (2010-18) nega ter recebido recursos da Odebrecht e atribui a denúncia a uma campanha de difamação.

Veja também: Não há definição sobre transferência do Coaf para BC, diz porta-voz

Via
Isto é
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios