Mundo

Catedral de Notre-Dame ainda é frágil e pode não ser salva, diz reitor

Segundo monsenhor Patrick Chauvet, enquanto andaimes não forem retirados, não será possível garantir recuperação da igreja, atingida por incêndio em abril. 'Hoje podemos dizer que há talvez 50% de chance de que seja salva', afirmou.

O reitor da Catedral de Notre-Dame diz que o marco de Paris ainda é tão frágil que há uma “chance de 50%” de a estrutura não ser salva, porque os andaimes instalados antes do incêndio deste ano estão ameaçando as abóbodas da igreja.

O monsenhor Patrick Chauvet disse que o trabalho de restauração não deve começar até 2021 – e descreveu sua “mágoa” por Notre-Dame não poder sediar as missas de Natal este ano, pela primeira vez desde a Revolução Francesa.

“Hoje ela não está fora de perigo”, disse ele à Associated Press pouco antes da missa da meia-noite da véspera de Natal em uma igreja próxima. “Ela estará fora de perigo quando removermos os andaimes restantes.”

“Hoje podemos dizer que há talvez 50% de chance de que seja salva. Também há 50% de chance de os andaimes caírem nas três abóbodas, portanto, como você pode ver, o prédio ainda é muito frágil ”, disse ele.

A catedral do século 12 estava sendo reformada na época do incêndio acidental de abril, que destruiu seu telhado e fez sua torre desabar. Sem teto para manter estável a enorme estrutura de pedra, as abóbodas sobreviventes da catedral são cruciais para mantê-la em pé, mas são vulneráveis.

O reitor da Catedral de Notre-Dame, Patrick Chauvet, participa da missa de Natal na igreja de Saint-Germain l'Auxerrois, na terça-feira (24) — Foto: AP Photo/Thibault Camus

O reitor da Catedral de Notre-Dame, Patrick Chauvet, participa da missa de Natal na igreja de Saint-Germain l’Auxerrois, na terça-feira (24) — Foto: AP Photo/Thibault Camus

Cerca de 50 mil canos de andaimes atravessaram a parte de trás do edifício no momento do incêndio, e alguns foram danificados. Removê-los sem causar mais problemas é uma das partes mais difíceis do esforço de limpeza.

“Precisamos remover completamente os andaimes para tornar o edifício seguro, então em 2021 provavelmente iniciaremos a restauração da catedral”, disse Chauvet. “Depois que os andaimes forem removidos, precisamos avaliar o estado da catedral, a quantidade de pedras a serem removidas e substituídas.”

Chauvet estimou que seriam necessários mais três anos depois para tornar seguro o suficiente para as pessoas voltarem à catedral, mas que a restauração completa levará mais tempo. O presidente Emmanuel Macron disse que deseja reconstruí-la até 2024, quando Paris sediará as Olimpíadas, mas especialistas questionaram se esse prazo é realista.

Outra razão pela qual ainda é muito perigoso sediar serviços religiosos dentro de Notre Dame: o incêndio liberou toneladas de pó de chumbo tóxico e as autoridades estão trabalhando para limpá-lo e avaliar os riscos à saúde que isso pode causar.

Via
FONTE: G1
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios