EconomiaTecnologia

Cliente fica livre de fidelização em telefonia e banda larga móvel em caso de má prestação de serviço

Já está em vigor lei que obriga operadoras a incluir cláusula que libera a fidelidade do consumidor se houver falhas contratuais

RIO – Já está em vigor a Lei 8.551/2019, que obriga as operadoras de telefonia (fixa e celular) e banda larga móvel do Estado do Rio a incluir nos contratos a cláusula que libera o consumidor da fidelização , em caso de má prestação do serviço .

A falha ficará caracterizada quando a empresa descumprir quaisquer cláusulas contratuais ou regras estabelecidas pela Agência Nacional de Telecomunicações ( Anatel) . Caberá ao Procon-RJ , em convênio com os órgãos de defesa do consumidor municipais, fiscalizar a atuação das companhias.

De acordo com a nova lei — que foi aprovada pela Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e sancionada pelo governador Wilson Witzel —, caberá às prestadoras de serviços o “ônus da prova pelo não descumprimento de qualquer obrigação prevista no contrato ou pela não frustração das legítimas expectativas do contratante quanto à qualidade de prestação do serviço”.

Já previsto no CDC
Vale destacar, no entanto, que o Poder Executivo ainda regulamentará a lei. Esta, na verdade, reforça o que já diz o Código de Defesa do Consumidor (CDC), segundo o qual já não é de fato permitido cobrar fidelidade do cliente quando o fornecedor descumpre o que foi contratado.

A empresa infratora estará sujeita às penalidades previstas na Lei 8.078, de 11 de setembro de 1990, devendo a multa ser revertida para o Fundo Especial de Apoio a Programas de Proteção e Defesa do Consumidor (Feprocon).

A nova lei foi publicada no Diário Oficial do Estado desta segunda-feira, dia 7 de outubro.

Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios