Esportes

Com gol aos 55, Palmeiras bate Goiás na estreia de Mano

Com novo técnico, Verdão conquista primeira vitória após a Copa América e volta para a terceira posição, enquanto time goiano fica em 14º; Tadeu sai de ambulância após se chocar com Zé Rafael

Vitória (de virada) aos 55!
O Palmeiras venceu o Goiás de virada, por 2 a 1, no Serra Dourada, na noite deste sábado, pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro, na estreia do técnico Mano Menezes pela equipe paulista. O gol salvador, de Gustavo Scarpa, surgiu aos 55 minutos do segundo tempo, numa jogada ensaiada à exaustão pelo técnico anterior, Luiz Felipe Scolari – a jogada de lateral direto na área, nas mãos de Marcos Rocha. Outra curiosidade: o Palmeiras não teve uma vitória sequer de virada com Felipão em mais de um ano. Logo no primeiro jogo sem ele… vira fora de casa! Foi a primeira vitória do Palmeiras no Brasileirão após a Copa América. O time voltou ao terceiro lugar, com 33 pontos, seis a menos do que o líder Flamengo, mas com um jogo a menos por fazer, terça, em casa, contra o Fluminense. Já o Goiás fica em 14º com 21 pontos, seis acima do Fluminense, primeiro time na zona do rebaixamento.

Os gols do jogo
Rafael Vaz abriu o placar para o Goiás aos 19 minutos do primeiro tempo. A virada do Palmeiras veio na etapa final. Willian empatou aos 35, em lance validado pelo VAR, após erro do bandeirinha (que viu impedimento inexistente do atacante). Gustavo Scarpa virou aos 55.
Susto e apreensão
O goleiro Tadeu, do Goiás, e o meia Zé Rafael, do Palmeiras, tiveram um choque de cabeças aos 7 minutos do segundo tempo. A situação mais preocupante foi a do jogador do time goiano, que ficou desacordado por alguns minutos. Tadeu saiu de ambulância e foi levado para um hospital perto do estádio, onde deve passar a noite em observação. Segundo a assessoria do Goiás, ele saiu consciente. Zé Rafael também precisou ser substituído – chegou a se sentar no banco de reservas, mas logo foi levado para o vestiário, para poder ficar em repouso

Central do Apito I
O VAR revisou um gol de Luiz Adriano, do Palmeiras, aos 42 minutos do primeiro tempo, e concluiu que houve falta do atacante, ao se apoiar para cabecear sobre o zagueiro Fábio Sanches. “Para mim, falta. Tem a carga. O Wagner Reway marcou do campo, e essa decisão prevaleceu”, disse o comentarista Sálvio Spínola. Em entrevista, Luiz Adriano negou empurrão: “Ele (Fábio Sanches) é que veio para trás”.
Central do Apito II
Um gol anulado pelo bandeirinha Cleriston Clay Barreto (SE) foi validado após auxílio do VAR. Willian estava em posição legal quando recebeu de Gustavo Scarpa – Rafael Vaz dava condição de jogo para o atacante do Palmeiras, salvo pelo árbitro de vídeo.

Central do Apito III
O Goiás reclamou de falta no goleiro Marcos (substituto de Tadeu) no lance do segundo gol palmeirense, marcado por Gustavo Scarpa. Na opinião de Sálvio Spinola, o gol foi legal. “Se fosse falar de alguma coisa, seria a distância na cobrança do lateral. Mas aí seria beneficiar o infrator. Gol legal do Palmeiras”.

Como jogou o Goiás
O time de Ney Franco achou um gol num chute de longe de Rafael Vaz e então se fechou, esperando segurar a vitória na base da retranca e especulando nos contra-ataques. Não deu certo. O Palmeiras chegou ao empate pouco depois da metade da etapa final e criou chances para virar. Mais por sorte do que por juízo, o Goiás ia segurando o empate… até o 55º minuto, quando não conseguiu afastar a bola alçada na área pelo lateral de Marcos Rocha e ficou reclamando de falta (inexistente) no goleiro Marcos.
Como jogou o Palmeiras

Com Jailson no gol e Ramires ao lado de Bruno Henrique (Felipe Melo está suspenso), Mano Menezes estreou no Palmeiras apostando numa formação para ter mais posse de bola. E até teve nos primeiros 45 minutos, mas a falha do goleiro palmeirense e a dificuldade na conclusão das jogadas – além de um gol anulado pelo VAR – fizeram o Goiás abrir vantagem. Depois do intervalo, o Verdão pressionou e continuou desperdiçando chances, com Dudu mais aberto pela direita e Lucas Lima vindo de trás, como volante. Willian fez o gol do empate, e a virada parecia questão de tempo, mas, com a expulsão de Lucas Lima (dois amarelos em três minutos), tudo parecia perdido. Até que, no minuto 55, pintou aquela jogadinha conhecida dos tempos de Felipão: lateral perto da área, Marcos Rocha atira direto na bagunça, e a bola sobra para Gustavo Scarpa mandar para o gol.

Primeiro tempo
O Palmeiras começou melhor e criou duas boas chances nos primeiros cinco minutos, com Zé Rafael e Diogo Barbosa. O Goiás acordou, principalmente com boas jogadas de Michael. O time da casa abriu o placar aos 19 minutos, com um chutaço de longe de Rafael Vaz, que teve muita liberdade para armar e disparar a batida – um lance que lembrou muito o gol de David Braz, do Grêmio, contra o Palmeiras, há três semanas. Em desvantagem, o Palmeiras partiu para cima. Virou ataque contra defesa, com o Goiás especulando apenas em tentativas esporádicas de contragolpe. Luan teve boa chance, e Luiz Adriano chegou a marcar, mas o gol foi anulado por falta do atacante em Fábio Sanches. Muito nervoso, o estreante Mano Menezes chegou a receber cartão amarelo à beira do campo.

Segundo tempo
Depois da paralisação de sete minutos para atendimento médico a Tadeu e Zé Rafael, o jogo voltou mais quente, com o Palmeiras se lançando todo ao ataque. O estreante Mano Menezes colocou Willian, Borja e Lucas Lima nas vagas de Zé Rafael, Luiz Adriano e Ramires. O gol de empate acabou saindo com ajuda do VAR, que corrigiu erro do bandeirinha que viu impedimento inexistente de Willian após bela enfiada de Gustavo Scarpa, aos 35. Nos minutos finais, o Palmeiras partiu com tudo atrás da virada, enquanto o Goiás parecia satisfeito com o empate. A expulsão de Lucas Lima (após dois cartões amarelos em três minutos) quase pôs tudo a perder. Mas a vitória acabou vindo, quem diria, com uma jogada de Felipão: o lateral jogado na área por Marcos Rocha. A bola sobrou para Gustavo Scarpa mandar para o gol e dar a vitória ao time palmeirense.

Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios