Política

Comissão da Câmara aprova convite para Janot esclarecer declarações polêmicas

Ex-procurador-geral , que disse ter planejado matar o ministro do STF Gilmar Mendes, pode aceitar ou recusar o pedido

BRASÍLIA – A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara aprovou, nesta quarta-feira, um convite para o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot comparecer à comissão para falar sobre suas recentes declarações. Em entrevistas, o ex-procurador disse que entrou armado no Supremo Tribunal Federal (STF) com a intenção de matar o ministro Gilmar Mendes . Janot pode aceitar ou recusar o convite, seu comparecimento não é obrigatório.

No requerimento, o deputado Delegado Pablo (PSL-AM) não cita as declarações do ex-procurador, mas sim as operações de busca e apreensão que aconteceram logo após a fala do ex-procurador. O ministro do STF, Alexandre de Moraes, determinou as operações na residência e no endereço comercial de Janot. A Polícia Federal apreendeu uma pistola, três carregadores e 24 munições, além de um celular, tablet e computador.

O autor do requerimento disse querer ouvir Janot por conta de declarações envolvendo “autoridades da República” que podem ter tentado barrar o trabalho do Ministério Público. O ex-procurador disse que o ex-presidente Michel Temer pediu para ele arquivar uma investigação contra o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha.

– Essas pessoas que de alguma forma tentaram fazer o trabalho da PF e do MP não caminhar, tem que prestar contas à justiça. Essa casa do povo é o lugar correto para que haja as explicações aqui e a gente veja se já há mais fatos a serem apurados, outras situações que merecem destaque – disse o deputado.

O deputado também incluiu no requerimento convites para o ex-chefe de gabinete da Procuradoria-Geral da República (PGR) de Janot Eduardo Pelella e o ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo. Deputados da oposição pediam a inclusão de Deltan Dallagnol, procurador da Lava-Jato, medida que foi recusada pelo autor do requerimento.

José Guimarães (PT-CE) sugeriu a proposição de um requerimento, para ser incluído na pauta da próxima semana, convidando o procurador Dallagnol para comparecer à comissão. A proposta foi apoiada por deputados da oposição.

Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios