Lava Jato

Condenado na Lava Jato, irmão de Zé Dirceu deixa penitenciária em Tremembé

Ele foi solto após a decisão do STF que derrubou a prisão em segunda instância. Ele foi condenado a dez anos de prisão por esquema com contratos de terceirizadas na Petrobras.

O irmão do ex-ministro José Dirceu, Luiz Eduardo de Oliveira e Silva, preso na Lava Jato, deixou a penitenciária 2 de Tremembé (SP) por volta de 11h30 desta terça-feira (3). Ele cumpria pena em regime fechado desde fevereiro de 2018 e pediu a liberdade depois da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que derrubou a prisão em segunda instância.

Veja também: Congresso mantém veto de Bolsonaro à recriação da propaganda partidária

Luiz Eduardo foi condenado a dez anos e seis meses de prisão em regime fechado por lavagem de dinheiro e organização criminosa. De acordo com a apuração, ele atuava como auxiliar do ex-ministro no esquema de irregularidades em contratos com empresas terceirizadas na Petrobras.

Segundo Sérgio Moro, juiz à época, e que atuou no caso, o irmão de Zé Dirceu admitiu à Polícia Federal que recebeu pagamentos mensais de R$ 30 mil em dinheiro, em espécie, do lobista Milton Pascowitc.

O alvará de soltura do réu foi expedido na segunda-feira (2). Ele vai aguardar em liberdade o julgamento de um habeas corpus.

Por nota a defesa dele considerou a soltura tardia. “Infelizmente neste país se é rápido para prender, mas moroso para soltar”.

Veja também: Segunda Turma do STF torna Renan Calheiros réu por corrupção e lavagem de dinheiro

Prisão
Luiz Eduardo de Oliveira e Silva foi preso em Ribeirão Preto e transferido para Tremembé em fevereiro de 2018 .

Ele foi condenado em maio de 2016 a oito anos e nove meses de prisão em regime fechado por lavagem de dinheiro e organização criminosa. A pena foi aumentada para 10 anos, seis meses e 23 dias pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em setembro de 2017. José Dirceu foi condenado nessa mesma ação no TRF-4.

Via
G1
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios