DestaquePolítica

Coronavírus: Governo do Pará aumenta restrições e autoriza uso de força policial contra manifestantes

Aglomerações em áreas públicas está restrita a 100 pessoas, segundo novo decreto do governador Helder Barbalho

SÃO PAULO – Em meio à discussão entre o presidente Jair Bolsonaro e os governadores sobre a extensão da restrição à circulação de pessoas como forma de evitar a expansão do surto de Covid-19, o governo do Pará decidiu impor novas medidas restritivas no estado e autorizar a utilização da força policial para dispersar eventuais manifestações.

No decreto, assinado pelo governador Helder Barbalho, só são permitidas aglomerações de até 100 pessoas nas áreas públicas – anteriormente, o governo tinha limitado o número a 500. Além disso, o governador apontou que não irá aceitar a realização de manifestações e carreatas que pedem o fim do distanciamento social e a retomada das atividades econômicas.

Neste sabado, a Polícia Civil do estado identificou um dos organizadores da carreata, marcada para acontecer neste domingo. O Tribunal de Justiça do estado, contudo, já proibiu a realização do evento.

“Um inquérito policial será instaurado para identificar, indiciar e intimar outros demais envolvidos na organização do evento”, diz a Polícia Civil.

Protestos do tipo têm sido realizados em todo o país por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro, que alegam que a interrupção da economia irá gerar efeitos ainda piores do que os que podem ser causados pela doença.

Segundo o governador, aqueles que insistirem poderão ser presos.

– Não vamos arredar um milímetro. Se houver manifestação, vai ser coibido. Está proibido fazer manifestações que tenham o caráter de levante contra uma estratégia de reclusão que é justamente para proteger a população – afirmou o governador.

De acordo com o governador, ainda há comércios abertos no estado, como mercados e feiras, além de igrejas.

– Mas com restrições para o cumprimento de regras sanitárias – disse o governador.

Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios