Notícias

Cristian Cravinhos é condenado em 2ª instância por corrupção após confusão em bar no interior de SP

Réu conseguiu, em 2017, o regime aberto pelo assassinato do casal Richthofen e perdeu após a ocorrência.

Cristian Cravinhos foi condenado em 2ª instância nesta quarta-feira (12) depois da sentença de quatro anos e oito meses de prisão por corrupção, em Sorocaba (SP).

A defesa entrou com uma apelação na Justiça para que o caso novamente fosse analisado. Ao G1, a advogada Monica Maria e Silva afirmou que a defesa tentará novamente com um recurso.

Em 2018, foi analisada a participação do réu em uma suposta tentativa de suborno a policiais para não ser preso e não perder o regime aberto, que havia conseguido meses antes depois de se envolver em uma confusão em um bar de Sorocaba.

A Justiça já tinha absolvido Cristian do crime de posse ilegal de munição de uso restrito, pois foi detido no estabelecimento com uma munição, mas manteve a condenação por tentativa de suborno feita aos PMs.

Cravinhos havia sido denunciado por agredir uma mulher, mas a suposta vítima não registrou boletim de ocorrência, na ocasião.

Já condenado pelo assassinato do casal von Richthofen, Cristian retornou à penitenciária 2 de Tremembé.

Cristian Cravinhos cogitou vender a moto para dividir o dinheiro com os PMs em Sorocaba — Foto: Carlos Dias/G1

Cristian Cravinhos cogitou vender a moto para dividir o dinheiro com os PMs em Sorocaba — Foto: Carlos Dias/G1

Denúncia de suborno

Na época, os PMs que atenderam a ocorrência declararam que Cristian ficou apavorado ao saber que seria levado à delegacia e chegou a oferecer dinheiro para não ser preso.

Segundo a denúncia, Cravinhos teria oferecido R$ 1 mil para não ser preso e disse que o irmão, Daniel, sairia de São Paulo para entregar mais R$ 2 mil.

Ele também teria cogitado vender a motocicleta e dividir o valor com os policiais. No colete de motoclube apreendido com Cristian havia a inscrição “Raça”. Conforme apurado pelo G1, antes de ser preso Cravinhos chegou a fazer ações sociais com o grupo.

Regime aberto

Na época do assassinato do casal von Richthofen, em 2002, o irmão de Cristian, Daniel Cravinhos, era namorado de Suzane. O trio planejou e assassinou Manfred e Marísia Richthofen na casa da família, na zona sul de São Paulo. Os pais de Suzane eram contra o namoro da filha com Daniel.

Suzane von Richthofen e os irmãos Cravinhos foram submetidos a júri popular em 2006. Cristian foi condenado a 38 anos e seis meses em regime fechado, mas deixou a penitenciária Doutor José Augusto Salgado, a P2 de Tremembé (SP), em agosto de 2017, após ser autorizado pela Justiça a cumprir o restante de sua pena em regime aberto. A decisão foi da Vara de Execuções Criminais de Taubaté.

Daniel Cravinhos foi condenado a 39 anos e seis meses de prisão em regime fechado e também conseguiu o mesmo benefício em janeiro deste ano, quando deixou a penitenciária em Tremembé para cumprir o restante da pena em liberdade.

Os irmãos Cristian (esq.) e Daniel Cravinhos, em foto de 23 de janeiro de 2006 — Foto: Vidal Cavalcante/Estadão Conteúdo/Arquivo

Os irmãos Cristian (esq.) e Daniel Cravinhos, em foto de 23 de janeiro de 2006 — Foto: Vidal Cavalcante/Estadão Conteúdo/Arquivo

Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios