Política

Damares promete memorial para anistiados políticos

No entanto, a ministra dos Direitos Humanos volta a descartar obra que começou a ser construída em Belo Horizonte (MG)

BRASÍLIA — A ministra dos Direitos Humanos, Damares Alves , disse nesta quarta-feira que estuda uma forma para que o governo federal entregue um memorial às vítimas da ditadura militar que comandou o Brasil entre 1964 e 1985. A declaração foi feita durante uma audiência pública na Câmara dos Deputados. Damares disse, no entanto, que não deverá dar continuidade ao memorial já em construção em Minas Gerais e que é alvo de investigações da Polícia Federal por desvio de verbas.

O Memorial da Anistia Política do Brasil começou a ser construído em 2009 em Belo Horizonte. O custo inicial da obra era de R$ 5 milhões. Depois de uma série de aditivos, a obra passou a custar R$ 28 milhões e ainda não foi finalizada. As obras começaram a ser investigadas pela Polícia Federal que, em setembro de 2019, indiciou 11 pessoas por desvios de verbas públicas, estelionato prevaricação e concussão.

Em julho, Damares determinou a suspensão das obras do memorial alegando que sua pasta não teria recursos suficientes para finalizar as obras. Nesta quarta-feira, ela voltou a dizer que não teria dinheiro para concluir o prédio em Belo Horizonte, mas disse que a pasta estuda uma alternativa para entregar um memorial aos anistiados e aos seus familiares.

— Vamos pensar junto com os anistiados uma outra forma de entregar o memorial para o Brasil. A lei não me obriga a ser um prédio tão grande e caro como aquele […] Não temos dinheiro para fazer uma grande obra. O dinheiro que tínhamos, usaram de forma indevida, mas o Brasil vai ter um memorial para os anistiados — prometeu a ministra.

De acordo com os relatórios da Comissão Nacional da Verdade (CNV), a ditadura militar foi responsável pela morte ou desaparecimento de 434 pessoas.

Via
O GLOBO
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios