Lava Jato

Deltan Dallagnol abre mão de promoção para ficar na Lava Jato

Chefe da força-tarefa da Lava Jato enviou ofício ao Conselho Superior do MPF para indicar que não tem interesse em atuar na Procuradoria da 4ª Região

O procurador da República Deltan Dallagnol abriu mão de promoção à PRR4 (Procuradoria Regional da República da 4ª Região), sediada em Porto Alegre. Ele preferiu continuar nos quadros do Ministério Público Federal em Curitiba, no posto de chefe da força-tarefa da Operação Lava Jato, maior investigação já deflagrada no país contra a corrupção e lavagem de dinheiro.

Veja também: Petrobras reafirma que óleo em praias não veio de ações da empresa

Nesta segunda-feira (21), Dallagnol enviou ofício ao Conselho Superior do Ministério Público Federal, “indicando que não tem interesse em concorrer à promoção no momento”.

‘Nunca ninguém disse que seria fácil enfrentar poderosos’, diz Deltan

Nos últimos dias, o procurador da Lava Jato tem sido questionado e alvo de especulações sobre seu futuro na instituição.

Veja também: Número de milionários no Brasil cresceu 19,35% em 2019, mostra relatório

Citado por supostos abusos na condução da Lava Jato, Deltan considerou, após sucessivas reuniões com seus pares, que se saísse agora poderia deixar a impressão que estava admitindo erros.

“A decisão foi tomada após conversar com os demais procuradores da força-tarefa e tomou em conta aspectos pessoais e profissionais”, informou Deltan, em nota.

Leia a íntegra da nota de Deltan:

“Em resposta à questão, o procurador informa que enviou ofício ao Conselho Superior do Ministério Público, indicando que não tem interesse em concorrer à promoção no momento. A decisão foi tomada após conversar com os demais procuradores da força-tarefa e tomou em conta aspectos pessoais e profissionais.”

Veja também: Deltan recusa hipótese de promoção para continuar na Lava-Jato em Curitiba

Copyright © Estadão. Todos os direitos reservados.

Via
R7
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios