DestaqueGeralPolítica

Deputados articulam destinação de R$ 3,2 bi para fundo eleitoral após Câmara aprovar nova regra

A Câmara dos Deputados concluiu nesta quarta-feira (4) a votação do projeto que pode aumentar o valor destinado para o fundo eleitoral. Nos bastidores, deputados já articulam a destinação de R$ 3,2 bilhões para o fundo, quase o dobro do previsto pelo governo (R$ 1,87 bilhão).

O texto aprovado pela Câmara ainda passará pelo Senado e terá de ser sancionado para valer. Pelas regras atuais, o fundo eleitoral é formado por 30% das emendas impositivas (obrigatórias) apresentadas pelas bancadas estaduais no Congresso Nacional.

De acordo com o projeto, o fundo continuará a ser abastecido com dinheiro oriundo das emendas de bancada, mas a redação retira a regra de 30%, deixando somente a previsão de o repasse corresponder a “um percentual”.

Inicialmente, a articulação de parlamentares visava destinar R$ 3,7 bilhões para o fundo, mas o valor foi criticado diante do momento de crise fiscal. Agora, o valor pode passar para R$ 3,2 bilhões.

Inicialmente, o governo previu R$ 2,5 bilhões para o fundo em 2020, mas o valor será revisado e deve ficar em R$ 1,87 bilhão.

Crítica
O líder do Novo, deputado Marcel van Hattem (RS), critica o possível aumento do fundo com o uso de recursos das emendas parlamentares de bancada, dinheiro é usado para investimentos nos estados definidos pelos deputados e senadores da região.

Van Hattem destaca que essas emendas são usadas para financiar obras estruturantes, como hospitais, escolas e estradas. Segundo ele, o Legislativo vai retirar a verba destinada a essas obras para financiar eleição, uma inversão de prioridade num momento de crise fiscal.

Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios