Política

Doleiro Dario Messer é convocado para prestar depoimento na CPI do BNDES

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara destinada a investigar possíveis irregularidades no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social ( BNDES ) aprovou nesta terça-feira a convocação do doleiro Dario Messer , preso na semana passada no âmbito da Operação Lava-Jato após passar mais de um ano foragido. A votação foi simbólica.

O requerimento foi apresentado pelo presidente da CPI, deputado Vanderlei Macris (PSDB-SP). Na justificativa do pedido, Macris afirmou que, de acordo com o Ministério Público, Messer “criou uma complexa rede de lavagem de dinheiro para a prática de crimes como corrupção, sonegação tributária e evasão de divisas, o que nos leva a crer em provável ligação com a investigação desta Comissão Parlamentar de Inquérito”.

O relator da comissão, Altineu Cortês (PL-RJ), afirmou que já havia tentado convocar o doleiro em uma CPI destinada a investigar a Petrobras, mas lamentou que na época o requerimento não foi aprovado.

Na antiga CPI da Petrobras, eu fui o autor do requerimento para convocar o Dario Messer. Infelizmente o requerimento não foi a frente. Então acho que essa é uma oportunidade, depois de tudo que aconteceu no Brasil, de ouvir o Dario Messer, já que ele está por trás de uma quantidade de operações incríveis de lavagem de dinheiro desses grandes grupos que participaram dessas operações fraudulentas — afirmou.

A comissão também aprovou um convite para o presidente do BNDES, Gustavo Montezano, prestar depoimento. O convite, no entanto, é opcional, ao contrário da convocação.

Dario Messer foi preso na semana passada em São Paulo. Ele estava foragido desde maio de 2018, quando o juiz Marcelo Bretas decretou sua prisão, na Operação “Câmbio, Desligo”, que mirou uma rede de doleiros.

Via
O Globo
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios