Notícias

É a primeira vez que manifestantes exigem impeachment de um Ministro do STF #BrasilContraGilmarMendes

Para Gilmar, mais perturbador que o tamanho dos protestos é o ineditismo da palavra de ordem

Em 2 de agosto de 2012, quando começou o julgamento do Mensalão no Supremo Tribunal Federal, não somavam 1 ponto no Ibope os brasileiros capazes de escalar de cor o time formado por 11 ministros. Transmitidas ao vivo pela TV Justiça, as 69 sessões consumiram um ano e meio. Em 13 de março de 2013, uma plateia de novela testemunhou o último capítulo, que chegou ao clímax com a condenação de 24 dos 40 denunciados no processo que se arrastava desde 2006. Milhões de brasileiros descobriram que aqueles homens e mulheres cobertos por uma capa negra, fluentes numa língua pouco parecida com a usada pela gente comum, decidiam em última instância coisas que podiam mudar — para melhor ou para pior — a vida do país.

Essa descoberta levaria boa parte dos brasileiros a decorar os nomes dos ministros, informar-se sobre quem é quem na cúpula do Judiciário, vasculhar a folha corrida dos indicados para uma vaga no STF e também a revogar uma frase frase pétrea de Ulysses Guimarães: “Decisão do Supremo não se discute; cumpre-se”. Embora continuassem a cumprir o que foi aprovado pela maioria, os pagadores de impostos (e de todas as contas federais) passaram a discutir com crescente desenvoltura as decisões dos ministros.

Nesta virada de década, a turma majoritária, comandada por Gilmar Mendes, delibera sobre qualquer assunto, entra sem pedir licença em territórios pertencentes a outros poderes, faz o que lhe dá na telha. Em contrapartida, as vítimas das decisões se consideram autorizados a julgar os julgamentos do grupo. Sobrou para o líder: neste 17 de novembro, multidões assombradas pela tentativa de ressuscitar o paraíso dos corruptos impunes saíram às ruas para exigir o impeachment de Gilmar Mendes.

Mais perturbador que o tamanho da mobilização é o ineditismo da palavra de ordem: antes de Gilmar, nenhum integrante de uma corte suprema de qualquer país foi alvo de manifestações semelhantes. Ele sabe disso. Tem motivos para desconfiar que a indignação tende a crescer — e pode alcançar os que esperam na fila. Caso insista em imaginar que lida com um bando de robôs, pode tornar inevitável a façanha indesejada: será o primeiro titular absoluto do time da toga expulso de campo pela pressão da plateia.

Fonte : R7

Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios