Lava Jato

Eike Batista transferiu duas casas avaliadas R$ 50 milhões para os filhos

Um levantamento feito por ÉPOCA em cartórios do Rio mostra que ele começou a se desfazer de seu patrimônio no Brasil em 2013, antes dos problemas judiciais mais graves

Ao publicar o quarto vídeo de sua empreitada como “coach empresarial” no YouTube, em 2 de agosto, o empresário Eike Batista se vangloriava do “poder da oratória” como um dos segredos para ter levantado “US$ 50 bilhões em investimentos” nos mais variados negócios nas últimas décadas. Mas aos olhos da força-tarefa da Lava Jato, que investiga o empresário por crimes no mercado de capitais vinculados a propinas pagas ao ex-governador Sérgio Cabral, as técnicas de Eike Batista para vender uma imagem confiável disfarçaram uma ciranda financeira de pagamentos ilegais, operações que manipularam o mercado financeiro, uso indevido de informações privilegiadas e transferências suspeitas de patrimônio.

É no exterior que está o foco do MPF na atual etapa das investigações contra Batista, já condenado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e pela Justiça Federal em âmbito doméstico. O discurso do ex-bilionário de que seu patrimônio atual se resume às residências no Jardim Botânico, na Zona Sul do Rio, e em Angra dos Reis, na Costa Verde do estado, não convenceu os procuradores.

Um levantamento feito por ÉPOCA em cartórios do Rio mostra que Batista começou a se desfazer de seu patrimônio no Brasil em 2013, antes dos problemas judiciais mais graves, mas quando a instabilidade dos negócios já era evidente. Segundo os registros, ele passou para os filhos, em julho e dezembro de 2013, os dois imóveis que chama de seus até hoje. Avaliadas no patamar dos R$ 50 milhões, as mansões no Alto Jardim Botânico e em Angra dos Reis — esta última com direito a hangar, segundo a escritura — pertencem oficialmente ao primogênito Thor, que seguiu carreira de empresário, e a Olin, que atua como DJ.

A advogada Flávia Sampaio, segunda mulher de Eike Batista, recebeu do empresário os direitos sobre uma cobertura em Ipanema, área nobre do Rio. Ele ainda entregou outro apartamento na Barra a uma corretora, além de vender, por R$ 1,2 milhão, um terreno em Guarapari, no Espírito Santo. A dissolução do patrimônio reforçou a ideia de um período de vacas magras do empresário nos anos recentes.

Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios