EconomiaGeral

‘Em 3 ou 4 semanas teremos intenso debate para reforma tributária’, diz Cintra

A expectativa do secretário é que o projeto do governo possa "se acoplar lá na frente" com o projeto que já tramita na Câmara

O secretário da Receita Federal, Marcos Cintra, afirmou nesta quinta-feira, 30, que deve haver um debate intenso sobre a reforma tributária em três ou quatro semanas, quando a reforma da Previdência já estiver avançada na Câmara.

A expectativa de Cintra é que o projeto do governo, voltado para tributos federais, possa “se acoplar lá na frente” com o projeto que já tramita na Câmara e é assinado pelo deputado Baleia Rossi (MDB-SP).

Cintra reiterou que o projeto do governo, ainda não finalizado, vai se basear em três pilares: criar um IR negativo (renda básica), unificar os impostos federais, num IVA federal, e desonerar a folha de pagamento.

Em relação à desoneração da folha, o secretário disse que conta com duas alternativas para compensar essa perda de receita: criar um imposto sobre pagamentos ou criar uma alíquota adicional para um eventual IVA.

Na opinião dele, a ideia do imposto sobre pagamentos é uma alternativa melhor, porque é uma fonte de arrecadação menos estável, que estaria menos exposta a ciclos econômicos, enquanto a alíquota adicional poderia resultar em distorções no sistema, como a evasão fiscal.

O secretário reiterou que gosta do projeto de Baleia Rossi, que propõe um IVA nacional (que inclui os impostos não federais), mas considera que é complexo demais para ser discutido politicamente e, por isso, pode levar dois ou três anos para ser aprovado. “Além disso, propõe uma transição alongada que a economia pode não suportar”, disse.

Para ele, a desoneração da folha é uma proposta urgente e não pode ser feita de maneira gradual. “Se demorar muito, vamos virar uma Argentina”, afirmou.

Via
Terra
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios