GeralPolítica

Em cerimônia fechada, Ricardo Liáo assume comando do novo Coaf

Liáo era diretor de supervisão do antigo Conselho de Controle de Atividades Financeiras, que passou a se chamar Unidade de Inteligência Financeira (UIF).

Ricardo Liáo assumiu nesta quinta-feira (22) o comando da Unidade de Inteligência Financeira (UIF), novo órgão que substituirá o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), e que passa a fazer parte do Banco Central (BC). Liáo era diretor de supervisão do antigo órgão de controle.

A transmissão de cargo foi realizada na manhã desta quinta-feira, em uma cerimônia fechada na sede do órgão, e contou com a presença do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, autor da nomeação de Liáo.

Ricardo Liáo é servidor aposentado do Banco Central e deixa o cargo de diretor de Supervisão do Coaf para assumir a UIF.

De 1998 a 2013, foi conselheiro do BC no Coaf. De 2013 a janeiro deste ano, foi secretário-executivo do conselho, e, desde então, diretor de supervisão do órgão.

O presidente Jair Bolsonaro editou medida provisória publicada nesta terça-feira (20) no “Diário Oficial da União” que transferiu o órgão do Ministério da Economia para o Banco Central.

A medida provisória também oficializou a mudança de nome do órgão, que deixou de ser Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) para passar a se chamar Unidade de Inteligência Financeira (UIF).
A polêmica
De acordo com o colunista do G1 e da GloboNews Valdo Cruz, aliados de Bolsonaro vinham pressionando o presidente a demitir o chefe do Coaf, Roberto Leonel.

Isso porque Leonel, indicado para o cargo pelo ministro da Justiça, Sergio Moro, criticou uma decisão do ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF).

Em julho, Toffoli suspendeu investigações baseadas em dados compartilhados pelo Coaf sem autorização judicial.

 

Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios