Notícias

Estrutura é achada em escavação de obra em Salvador e prefeitura investiga se é parte de teatro do século XIX

Segundo secretário de Cultura e Turismo de Salvador, estrutura aparenta ser de uma fonte do Teatro São João. Arqueólogos fazem pesquisa para confirmar relação.

A estrutura de uma construção antiga foi encontrada durante escavações para a realização de obras na região da Praça Castro Alves, em Salvador, e a prefeitura da capital baiana investiga se ela pertencia ao Teatro São João, fundado no século XIX.

De acordo com Claúdio Tinoco, secretário de Cultura e Turismo de Salvador, a estrutura foi identificada em meados deste mês e se assemelha com uma fonte. A suspeita é que ela seja um chafariz que pertencia ao Teatro São João.

“Os indícios levam para essa possibilidade. A estrutura aponta uma relação com o Teatro São João. Nós fizemos uma reunião na segunda-feira (23), e ficou essa vinculação, essa sugestão. Por outro lado, a arqueologia ficou de estender os estudos, através de bibliografia, visando investigar a vinculação, comprovar a relação. Pela estrutura, tudo indica que seja uma fonte que pertencia ao teatro. Além disso, tem uma formação de uma escadaria, que estaria no entorno dessa fonte”, contou.

O secretário contou ainda que todos os achados são investigados por arqueólogos, além de contarem com o apoio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Ele conta também que não é o primeiro achado durante as obras de requalificação na região.

“A arqueologia que nós estamos executando é uma prospecção, não é um estudo. Ela visa que a gente identifique possíveis achados, para que as obras de requalificação não passem por cima dessa estrutura. É preciso a catalogação. Não é nosso primeiro achado. Já tivemos outros achados durante a requalificação. Entre eles, tivemos no relógio de São Pedro uma fonte com a presença de ossadas”, afirmou.

Teatro São João

Inaugurado em 13 de maio de 1812, no aniversário do Príncipe Regente Dom João VI, o Teatro São João da Bahia foi o primeiro grande teatro de ópera do Brasil. Ele foi o quarto teatro público da Bahia e estima-se que tinha capacidade para até 2 mil pessoas. Apesar da importância, a estrutura foi destruída durante um incêndio que ocorreu em 1923.

Antes disso, ainda em 1881, o largo ao entorno do teatro se tornou a Praça do Poeta, em homenagem ao poeta Castro Alves. O monumento a Castro Alves, no entanto, só foi inaugurado em 6 de julho de 1923, meses depois do incêndio que destruiu o teatro.

Estrutura aparenta ser ruínas do Teatro São João.  — Foto: Arquivo Pessoal

Estrutura aparenta ser ruínas do Teatro São João. — Foto: Arquivo Pessoal

Segundo o historiador Ricardo Carvalho, a homenagem a Castro Alves no local foi feita por causa da relação próxima do poeta com o Teatro São João.

“O fato de Castro Alves estar ali é por causa relação dele com o teatro. Pouca gente sabe, mas ele também era dramaturgo. Ele fez várias peças de teatro, ele tinha uma relação muito próxima com o teatro. Nesse sentido, a presença de Castro Alves na apraça tem mais relação com o lado dele dramaturgo, do que com o poeta em si”, afirmou.

O historiador contou ainda que o teatro influenciou em vários aspectos na região. A Rua Carlos Gomes, que começa na Praça Castro Alves, foi batizada em homenagem à relação do compositor Carlos Gomes com o local.

“A Rua Carlos Gomes também é por causa da relação de Carlos Gomes com o teatro. Ele fez várias apresentações no local. Ele era uma grande referência da música erudita. Muitas obras dele foram apresentadas no teatro”, contou Ricardo Carvalho.

Ruínas de construção são encontradas em escavação de obra em Salvador e prefeitura investiga se é de teatro do século XIX — Foto: Arquivo Pessoal

Ruínas de construção são encontradas em escavação de obra em Salvador e prefeitura investiga se é de teatro do século XIX — Foto: Arquivo Pessoal

Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios