Blogs e ColunasEntretenimento

‘Eu levei tudo o mais longe que pude, então perdi o privilégio de beber’, diz Brad Pitt

Ator fala sobre experiência de um ano e meio no Alcoólicos Anônimos: 'Era um espaço seguro'

RIO — Brad Pitt viveu momentos turbulentos nos últimos anos, com a separação de Angelina Jolie após uma briga por causa da relação do ator com o álcool. Em cartaz nos cinemas com ” Era uma vez … em Hollywood ” e com outro filme de destaque, “Ad Astra”, perto de estrear, ele falou ao “New York Times” sobre sua recuperação. A gota d’água no relacionamento de 11 anos ocorreu em setembro de 2016, quando o casal brigou porque ele estava bebendo a bordo de um avião particular.

“Eu levei tudo o mais longe que pude, então perdi o privilégio de beber”, disse o ator ao repórter Kyle Buchanan. Após a separação, ele passou um ano e meio no Alcoólicos Anônimos, num grupo composto inteiramente por homens. “Todos aqueles homens estavam ali sentados e falando de forma aberta e honesta como eu nunca tinha visto. Era um espaço seguro onde havia pouco julgamento e, portanto, pouco julgamento de si mesmo.”
A confiança mútua foi comprovada pelo fato de nenhum dos participantes do grupo ter vendido qualquer uma das histórias de Pitt a tablóides: “Foi realmente muito libertador expor meu lado sombrio. Há um grande valor nisso.”

 

Pitt e James Gray, diretor de “Ad Astra”, são amigos há mais de duas décadas e desde então tentam trabalhar juntos. Houve uma tentativa frustrada em “A Cidade Perdida de Z”, mas o papel foi para Charlie Hunnam. “Naquela época, viajar para a Amazônia simplesmente não se encaixava na minha agenda”, diz Pitt.
Agora, em “Ad astra”, Pitt interpreta um astronauta que vasculha a galáxia em busca de seu pai desaparecido (Tommy Lee Jones). O filme tem sequências visuais impressionantes, mas é mais intropectivo, com longos trechos apenas com o ator na tela. No início de 2017, quando Pitt se comprometeu a estrelar “Ad Astra”, ainda estava sofrendo com sua recente separação de Angelina Jolie. Segundo o diretor, parte desse drama pessoal inspirou o a atuação.

“Ele trouxe estímulos de sua vida pessoal”, diz Gray. “Não entrei em detalhes com ele sobre isso —- não acho que seja da minha conta, nem parte do trabalho — mas ele investigou a essência do personagem através de si mesmo”.

“Ad Astra” foi exibido no Festival de Veneza e chega aos cinemas no Brasil em 19 de setembro.

Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios