Internacional

EUA não concordaram com proposta de ajuda do G7 à Amazônia

Os Estados Unidos não concordaram com um pacote de ajuda de emergência de 20 milhões de dólares para ajudar a combater incêndios na Amazônia anunciado pelo presidente francês, Emmanuel Macron, na cúpula do G7, disse nesta quarta-feira um porta-voz do Conselho de Segurança Nacional dos EUA (NSC).

O porta-voz do NSC Garrett Marquis disse que os EUA estão prontos para ajudar o Brasil a combater as chamas e que isso será feito de melhor maneira em coordenação com o governo brasileiro.

“Os Estados Unidos estão prontos para ajudar o Brasil em seus esforços para combater esses incêndios, e não concordaram com uma iniciativa conjunta do G7 que não incluiu consultas com o presidente (Jair) Bolsonaro”, disse Marquis em comunicado enviado por email.

Macron, que chamou os incêndios na Amazônia de emergência global, colocou o desastre ambiental no topo da agenda da cúpula de Biarritz, presidida por ele.

Em entrevista coletiva ao lado do presidente chileno, Sebastian Piñera, Macron disse que o G7 discutiu os incêndios em profundidade e ofereceria 20 milhões de dólares aos países da bacia amazônica que procurassem ajuda.

O presidente dos EUA, Donald Trump, não compareceu à sessão dos líderes sobre biodiversidade e clima na segunda-feira. Perguntado por que, Macron disse que o líder dos EUA tinha reuniões bilaterais para participar.

“Ele não estava na sala, mas sua equipe estava”, disse Macron. “Você não deve interpretar nada sobre a ausência do presidente norte-americano … Os Estados Unidos estão conosco sobre biodiversidade e sobre a iniciativa da Amazônia.”

O pacote de ajuda despertou uma reação crítica de Bolsonaro, que considerou o gesto como colonialista.

 

 

Via
Reuters
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios