Política

Ex-chefe da Casa Civil da prefeitura, Messina quer disputar a eleição contra Crivella

'A administração municipal deixou de ter um projeto de cidade para ter um projeto de poder', diz o vereador e ex-aliado

RIO — Ex-chefe da Casa Civil de Marcelo Crivella, o vereador Paulo Messina (PRTB) não só rompeu com o governo, como quer enfrentar o prefeito na eleição do ano que vem. Em um movimento de afastamento, o parlamentar já havia se desfiliado do PRB, partido de Crivella, e denunciado o que classificou como “obras clandestinas” no município. Atualmente filiado ao PRTB, Messina procura um partido que tenha ao menos cinco parlamentares em Brasília, exigência para que possa participar dos debates na televisão no ano que vem.

— O que me leva a desejar a candidatura própria é o mesmo motivo que me levou a sair do governo. O que construímos em 2018 vem sendo desmontando, com atentados ao equilíbrio fiscal e substituição da equipe técnica da máquina por quadros políticos. Deixou de ser um projeto de cidade e passou a ser um projeto de poder, de reeleição — afirmou o parlamentar.

Procurado, o prefeito Marcelo Crivella, que recentemente fez alterações no secretariado para aumentar a base de apoio na Câmara, preferiu não se pronunciar sobre as declarações de Messina, que está em seu terceiro mandato no parlamento carioca.

 

Em busca da reeleição, Crivella também tem procurado se aproximar do PSC, partido do governador Wilson Witzel, como antecipou O GLOBO. Como fruto da aproximação, ambos negociaram a transferência do Sambódromo das mãos da prefeitura para as do estado e um convênio para tratar do atendimento a moradores de rua.

Nesta sexta, Messina comentou em uma rede social o desejo de se candidatar à prefeitura, ao comentar uma reportagem do jornal “O Dia”.

Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios