Mundo

França multa Google Ads em 150 milhões de euros

Autoridade reguladora identificou abuso de publicidade

A autoridade reguladora de concorrência francesa anunciou nesta sexta-feira uma multa de 150 milhões de euros ao Google por abuso de posição dominante no mercado de publicidade na Internet por meio de sua plataforma do Google Ads. A agência, que até agora nunca havia aplicado sanções ao gigante americana, também pediu ao Google “que esclarecesse as regras de operação de sua plataforma do Google Ads e os processos de suspensão de contas” de alguns anunciantes.

Veja mais: Indulto natalino terá capítulo especial para policiais, diz Bolsonaro

Isabelle De Silva, presidente da autoridade, disse em entrevista coletiva que esta é a terceira punição mais importante por abuso de posição dominante. “Quando se tem grandes poderes, se tem grandes responsabilidades”, disse ela. “É perfeitamente legítimo que uma operadora como o Google tenha regras de acesso ao seu serviço de publicidade relacionadas a buscas na internet”, acrescentou.

“Mas essas regras devem ser claras e não depender de cada cliente ou aplicadas de maneira irregular”. Segundo ela, “a posição dominante do Google é extraordinária” no mercado de publicidade relacionada a mecanismos de busca, com uma participação de mercado entre 90% e 100%.

A falta de clareza sobre as regras que o Google aplica aos anunciantes conseguiu conter o desenvolvimento de novos sites inovadores, destaca a autoridade da concorrência em sua declaração. “O Google deve enviar um relatório dentro de dois meses, detalhando as medidas e procedimentos que pretende aplicar para atender aos requisitos”, acrescentou.

Veja mais:JBS compra ativos de margarina da Bunge no Brasil por R$ 700 milhões

Via
R7
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios