DestaqueEntretenimentoPolítica

Glenn Greenwald ofende jornalistas, e a associação emite nota de repúdio

A Associação Brasileira de Jornalistas Investigativos (Abraji) tem conduta diferente da de O Globo

O Globo produziu reportagem sobre investigação do Coaf que tem David Miranda como alvo. Deputado pelo Psol do Rio de Janeiro, ele é casado com Glenn Greenwald.

Dono do site The Intercept Brasil reclamou de “vazamentos ilegais”. Em defesa do marido, norte-americano chamou jornalistas da publicação de “corruptos” e “propagandistas” da Lava Jato

Proprietário do site The Intercept Brasil e porta-voz da série #VazaJato, Glenn Greenwald partiu para a ofensa contra jornalistas de O Globo. Para ele, os profissionais do veículo impresso são “corruptos” e “propagandistas” da operação Lava Jato.

O posicionamento do comunicador norte-americano foi registrado em vídeo e postagens nesta semana. Ele usou as redes sociais para sair em defesa de seu marido, o parlamentar David Miranda. Deputado federal pelo Psol do Rio de Janeiro, o político foi personagem central da matéria sobre relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).

 

A reclamação Glenn Greenwald é motivada pela reportagem assinada por Juliana Dal Piva e João Paulo Saconi. A dupla teve acesso com exclusividade à informação de que relatório do Coaf indica “movimentações atípicas” nas contas bancárias de David Miranda. Em pouco mais de um ano, as transações bateram a casa de R$ 2,5 milhões. No ar desde o fim da manhã de quarta-feira, 11, a matéria de O Globo pautou outros veículos de comunicação (vídeo abaixo). Além do parecer por parte do Coaf, o conteúdo original apresenta a versão do deputado psolista, que “nega irregularidades”. Contextualiza, ainda, que o relatório foi enviado ao Ministério Público dois dias após a primeira reportagem da #VazaJato, série do site The Intercept Brasil que apresenta conversas entre o procurador Deltan Dallagnol, o hoje ministro Sergio Moro e outras autoridades. Registros colhidos a partir do aplicativo Telegram.

Retaliação?
Ao decorrer dos mais de 14 minutos de vídeo crítico ao jornal O Globo, Glenn Greenwald reforça — por mais de uma vez — que a reportagem da dupla Juliana Dal Piva e João Paulo Saconi surgiu a partir de “vazamentos ilegais” supostamente cometidos por autoridades relacionadas ao caso. Na chamada no YouTube, o dono do Intercept garante, ainda, que o material que a pauta a matéria do jornal carioca é “falso”. Na gravação, contudo, ele confirma que, entre entradas e saídas, o seu marido parlamentar realmente movimentou o valor milionário ao longo do período citado. Por outro lado, rechaça de forma veemente a possibilidade de quaisquer irregularidades cometida por seu companheiro

glenn greenwald - o globo

 

Glenn Greenwald garante que, apesar da movimentação financeira ter sido atrelada à conta de David Miranda, o responsável pela maior parte do valor milionário é ele próprio. O jornalista norte-americano garante que pode comprovar facilmente a licitude das operações. Informa que é um dos mais “altos salários” na lista de colaboradores da organização responsável por manter o projeto The Intercept no ar. O veículo de comunicação online é mantido pela First Look Media, iniciativa do empresário Pierre Omidyar, do eBay. Além disso, Glenn avisa que ganha dinheiro como escritor (tendo livros em listas de mais vendidos) e acusa as autoridades de terem forjado o relatório como retaliação ao seu trabalho jornalístico. Para isso, acusa membros do Ministério Público de terem usado o “subserviente” O Globo para tal objetivo. Até o momento, a equipe de O Globo não se posicionou a respeito das críticas por parte de Glenn Greenwald.

Nota de repúdio
A Associação Brasileira de Jornalistas Investigativos (Abraji) tem conduta diferente da de O Globo. E se posiciona publicamente sobre o caso. Ao abordar o caso em seu site, a entidade destaca que os dois repórteres de O Globo responsáveis pela matéria sobre David Miranda se tornaram alvos de “ofensas e comentários agressivos”. E externa apoio à dupla. “[Manifestamos] solidariedade a Dal Piva e a Saconi. Nenhum jornalista deve ser acusado sem provas por realizar seu ofício de divulgar informações”. A instituição não poupou o comunicador norte-americano de críticas. “Lamentamos que um jornalista lance mão de expedientes dos quais ele próprio é vítima frequente – acusações e descredibilização – contra outros colegas, ultrapassando o limite da crítica ao trabalho feito”, destaca a Abraji. A nota da entidade foi divulgada na tarde desta sexta, 13.

 

 

Via
Comunique-se
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios