Entretenimento

Globo é condenada na Justiça após pegadinha de Luciano Huck

Emissora foi condenada por uso indevido de imagem e dano moral

A Globo foi condenada a pagar uma indenização de R$ 30 mil mais os juros por uso indevido de imagem e dano moral para Ricardo José Rímola, professor vítima de uma pegadinha no quadro x1000, em 2013. A atração fazia parte do Caldeirão do Huck, de Luciano Huck.

Segundo informações do site Notícias da TV, o juiz Leonardo Grandmasson Ferreira Chaves entendeu que “embora o dano moral seja personalíssimo, seus efeitos patrimoniais são transmissíveis”.

A decisão saiu quatro anos após a morte do educador. Ricardo José morreu em 2015 vítima de problemas pulmonares. Além da Globo, Luciano também era réu no caso, mas o magistrado decidiu que ele não tinha “ingerência na produção do programa, ostentando apenas a qualidade de apresentador”.

Na época, Rímola tinha saído de uma consulta médica e, enquanto caminhava pela praça Saenz Peña, no bairro da Tijuca, foi interrompido por um ator contratado do programa, que interpretava um falso desempregado. Ele estava com a camisa manchada de caneta azul estourada e pediu a camisa do professor emprestada.

A ideia era que a primeira pessoa que aceitasse a proposta seria abordado por Luciano Huck e uma banda de fanfarra, além do direito de receber o valor que tinha em moedas no bolso multiplicado por mil.

O professor se recusou e continuou andando. A cena foi filmada por câmeras escondidas ao redor da praça para o Caldeirão do Huck em 4 de maio de 2013. Luciano estava dentro de uma van, acompanhando tudo de perto. Depois da sua aparição, dois produtores do canal foram até Ricardo e pediram para que ele assinasse um termo de uso de imagem. Ele não autorizou.

Mesmo sem a autorização, a Globo utilizou a imagem. O juiz decidiu: “A Rede Globo fez uso da imagem do autor sem seu devido consentimento. Tal fato, por si só, já se caracteriza como reprovável, pois nem todas as pessoas desejam participar de quadros televisivos em cadeia nacional”. A emissora pode recorrer da decisão.

Via
RD1
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios