Entretenimento

Globo se esconde atrás do Dr. Drauzio no caso da trans presa

Descoberta do delito cometido pela entrevistada no Fantástico fez muitos telespectadores irem da solidariedade à revolta

Devemos sentir empatia somente por quem cometeu crimes leves ou podemos nos solidarizar também com condenados por atos hediondos? Esse é o dilema suscitado pela revelação, a partir de apuração do site O Antagonista, de que a detenta Suzy de Oliveira teria estuprado, estrangulado e ocultado o cadáver de um menino de 9 anos.

No domingo (1.º), ela provocou comoção nacional ao manifestar sua solidão no presídio em entrevista a Drauzio Varella, no Fantástico. O abraço paternal do médico viralizou nas redes sociais e gerou inúmeras matérias na imprensa. Na última semana, Suzy recebeu centenas de cartas e doações em dinheiro por meio de uma vaquinha virtual. Ninguém sabia detalhes de sua condenação.

Assim que portais de notícias repercutiram a notícia do crime, sugiram inúmeras mensagens a respeito na web e o nome de Suzy liderou o ranking de assuntos do Twitter. De um lado, gente disposta a reafirmar solidariedade a Suzy. Do outro, pessoas chocadas com o horror por trás da aparência frágil da presidiária — e, consequentemente, o fortalecimento do preconceito e do ódio contra transexuais e detentos.

Unânime, apenas a aprovação ao gesto humanitário de Drauzio Varella. Ele não conhecia a ficha criminal de Suzy no momento da gravação. “Não perguntei nada a respeito dos delitos cometidos pelas entrevistadas. Sou médico, não juiz”, esclareceu o médico em nota à imprensa. Antes disso, ele havia manifestado surpresa com a repercussão gigantesca do abraço. Chegaram a sugerir que fosse lançado candidato à Presidência em 2022. Varella rejeita essa idolatria tola.

O especialista em saúde do Fantástico não tinha a obrigação de questionar Suzy, mas a Globo, sim. A informação era relevante. Tanto assim que sua revelação, agora, influencia a formação de opinião dos telespectadores. Ainda que não tenha existido a intenção de manipular, a edição induziu o público a se comover e sentir compaixão. Neste caso, a omissão de um dado prejudicou a precisão jornalística. E, no jornalismo profissional, não deve existir espaço para dúvida ou incongruência. Em outras reportagens do gênero, na Globo, houve a citação dos crimes dos entrevistados.

Na edição de ontem (8), o Fantástico apresentou uma explicação. “Os crimes das entrevistadas não foram mencionados porque este não era o objetivo”, disse Tadeu Schmidt. “O quadro gerou muita empatia no público, mas também críticas exatamente por não mencionar os crimes”, complementou Poliana Abritta. A seguir, a apresentadora informou que o programa apoiava integralmente a nota emitida por Drauzio Varella.

Nela, o médico diz: “Por razões éticas, não busco saber o que de errado fizeram. Sigo essa atitude para cumprir o juramento que fiz ao me tornar médico. E para não cair na tentação de traí-lo, atendendo apenas aqueles que cometeram crimes leves. No quadro do Fantástico, segui os mesmos princípios”.

Drauzio Varella fez o juramento a Hipócrates; a Globo, não. A emissora errou antes, ao não revelar os delitos das entrevistadas, e erra novamente agora ao usar o médico como escudo contra as contestações ao seu jornalismo.

FONTE: Blog Sala de TV 

Via
Blog Sala de TV
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios