DestaqueEconomiaGeral

Governo retira multa de caminhoneiro que aceitar frete abaixo da tabela

Categoria pede que agência aumente a fiscalização

BRASÍLIA – A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) voltou atrás e não vai multar os caminhoneiros autônomos que aceitarem frete por preço inferior ao piso do transporte rodoviário de carga. Apenas as empresas que contratarem o serviço fora do tabela serão punidas. A decisão foi tomada pela diretoria da Agência em reunião extraordinária nesta terça-feira.

Segundo o diretor Marcelo Vinaud, relator do processo, a medida não tinha efeito prático porque os caminhoneiros deixavam de fazer a denúncia à ANTT sobre o descumprimento da tabela do frete para não serem punidos. O valor da multa para o autônomo era de R$ 550 e para as empresas, de R$ 10.500 – conforme norma aprovada pela Agência em novembro de 2018.

“Uma vez que o desenho regulatório atual conduz à desmotivação por parte dos transportadores em realizar denúncias, na medida em que lhes são aplicadas punições idênticas àquelas aplicadas aos embarcadores, percebeu-se uma baixa efetividade na atividade de fiscalização”, diz o relator no voto.

Segundo fontes do governo, a decisão de acabar com a multa dos caminhoneiros foi resultado da pressão de representantes da categoria em reunião com o ministro de Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, há uma semana. Os caminhoneiros pediram também que a ANTT aumente a fiscalização sobre o cumprimento da tabela do frete mínimo.

A tabela foi criada em maio de 2018 pelo ex-presidente Michel Temer para acabar com a greve dos caminhoneiros, apesar de pareceres contrários da equipe econômica à época. Entidades do setor produtivo alegam que a medida é inconstitucional por representar interferência no Estado na economia, com impacto na elevação dos custos e aguardam uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

Para evitar uma nova greve um ano depois, o atual governo cobrou da ANTT o reajuste da tabela para acomodar o aumento do diesel neste ano. Os números foram corrigidos há duas semanas.

Via
POR O GLOBO
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios