NotíciasSaúde

Hospital Albert Einstein quer contratar 599 enfermeiros para atuar no hospital de campanha no Pacaembu

Ao todo, a categoria vai somar 42% das 1.426 vagas disponibilizadas para profissionais da saúde. Eles irão reforçar a equipe médica na atuação contra a pandemia do novo coronavírus em São Paulo.

O Hospital Albert Einstein informou que vai contratar cerca de 599 enfermeiros para trabalhar no Hospital de campanha no Pacaembu. Ao todo, a categoria vai somar 42% das 1.426 vagas disponibilizadas para profissionais da saúde. Eles irão reforçar a equipe médica na atuação contra a pandemia do novo coronavírus em São Paulo.

Segundo o hospital, também serão contratados médicos, fisioterapeutas, nutricionistas, farmacêuticos, auxiliar de farmácia, psicólogos, técnicos de raio-x, profissionais de apoio, como assistente de atendimento, cozinheiro, auxiliar de cozinha e camareiro.

Os contratos terão duração inicial de três meses, com possibilidade de prorrogação. As inscrições podem ser feitas aqui.

O Einstein será responsável pela gestão e operação do hospital de campanha no Pacaembu. O espaço terá equipamentos e insumos, além de profissionais para atender os pacientes.

Em nota, o Einstein informou que a “estrutura será voltada ao atendimento de pacientes referenciados pela rede pública, ou seja, basicamente pacientes que passaram pelas Unidades Básicas de Saúde do SUS e que precisam de internação com cuidados de baixa complexidade. Com isso, o objetivo é atender à demanda por atendimento de baixa complexidade, de forma a liberar vagas para atendimentos de maior complexidade nas unidades de saúde tradicionais.”

Tenda de 6,3 mil m²

A construção do hospital de campanha decorre da formalização de uma parceria entre o Allegra Pacaembu, que adquiriu a concessão para a exploração do estádio e do complexo, com a Prefeitura.

A tenda de 6,3 mil m² está sendo erguida por 80 funcionários e a previsão é de que a obra termine em até 10 dias.

egundo a Prefeitura de São Paulo, mais 1.800 leitos serão colocados no Complexo do Anhembi, na Zona Norte da capital, onde fica localizado o sambódromo. No total, os dois locais abrigarão 2.200 leitos para receber pacientes com coronavírus de baixa complexidade hospitalar.

Os pacientes que terão vagas em leitos nestes locais serão definidos pela Secretaria Municipal de Saúde, após terem passado por outros hospitais ou unidades básicas de saúde, onde será feita uma triagem.

Segundo a Prefeitura, a Allegra Pacaembu tem dentre suas sócias a Progen, uma empresa com experiência em montagem de estruturas provisórias e também na construção de hospitais de campanha com tendas.

O Complexo do Pacaembu estará fechado para o público em geral e para a prática esportiva durante toda essa operação.

Começa a construção de hospital de campanha para receber pacientes com coronavírus no Pacaembu — Foto: Prefeitura de SP/divulgação
Começa a construção de hospital de campanha para receber pacientes com coronavírus no Pacaembu — Foto: Prefeitura de SP/divulgação

Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios