Economia

Índios de MT organizam produção de grãos e movimentam R$ 50 milhões por ano

Com o cultivo de soja e milho, a vida da etnia Paresi mudou e agora busca o equilíbrio entre os costumes da aldeia e o agronegócio. Relembre.

O plantio da soja e do milho na terra indígena Paresi, em Mato Grosso, que movimenta R$ 50 milhões por ano. Com o cultivo de grãos, a vida desses índios mudou, e agora eles buscam o equilíbrio entre os costumes da aldeia e o agronegócio.

Durante o ano passado, os índios sofreram questionamentos pela produção em larga escala. Mas, no final de 2019, os paresis assinaram um termo de ajustamento de conduta (TAC), que libera as áreas de soja para o plantio.

Com isso, os índios podem financiar e comercializar a safra. Mas se comprometem a não arrendar as terras, nem usar sementes transgênicas.

Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios