Economia

Índios usam máquinas de cartão para potencializar as vendas

Faturamento nas aldeias do Sul da Bahia cresce até 70% com opções de pagamento por débito e crédito

As comunidades que vivem nas aldeias de regiões entre os municípios de Porto Seguro e Corumbau, no Sul da Bahia, não abrem mão de preservar a cultura, encantar turistas e, claro, viver da sua arte. Por isso, eles aprenderam a empreender e incorporaram o que há de mais moderno na gestão para facilitar a venda.

Veja também: Implante cerebral restaura percepção visual em cegos

Por lá, as maquininhas de cartão já fazem parte do dia a dia das comunidades e ajudam a potencializar as vendas de artesanato, uma das principais atividades econômicas da região.
Segundo Raimundo Gadelha, franqueado da Acqio há três anos e responsável por introduzir as maquininhas nas aldeias e no Patashopping, que concentra artesanatos da etnia Pataxó na Praia Coroa Vermelha (BA), é possível registrar um aumento de até 70% nas vendas.

“Aquele que não oferece a opção perde a venda, já que os turistas raramente andam com dinheiro no bolso”, comenta Gadelha, que tem entre 800 e 900 aparelhos em operação na sua franquia e coloca de 10 a 20 novas maquininhas por mês na região.

Veja também: Lula pode se negar a ir para o semiaberto? Entenda como funciona a progressão de regime

Com a experiência de quem construiu uma relação de confiança com o cliente e se tornou referência quando o assunto é maquininha, Gadelha não tem dúvidas de que o grande negócio é o atendimento e a busca por soluções individualizadas. “Os clientes ligam direto no meu celular, avisam que estão passando no escritório e sabem que podem contar comigo a qualquer hora. Esse é o diferencial que faz nossas soluções chegarem onde ninguém chegou”, explica.

Cliente Acqio há dois anos, a indígena Luzia Santana já não sabe mais como é tocar o negócio sem o apoio da maquininha. Antes de ter seu próprio equipamento, ela emprestava de outro empreendedor para não perder a venda de artesanato na sua pequena loja localizada na Aldeia Imbiriba, em Trancoso (BA). Luzia comemora as vendas e destaca o papel do franqueado Raimundo Gadelha no seu dia a dia: “Ele está sempre pronto para ajudar”.

O segredo está na regionalização

Atender a base da pirâmide formada pelas classes C, D e E de maneira humanizada, com suporte local e agilidade é o segredo da Acqio, a maior rede de franquias de maquininhas de cartão do mundo, que cresce em ritmo acelerado e conquista não só os índios pataxós, mas empreendedores das regiões mais afastadas do Brasil. De acordo com o CEO da empresa, Robson Campos, a Acqio já nasceu com a missão de oferecer os melhores serviços financeiros às massas e não mede esforços para alcançar excelência no atendimento.

“Nosso franqueado tem dois ganhos, quando vende a maquininha e a cada transação realizada pelo lojista. Todo mundo sai ganhando. Geralmente o franqueado é alguém próximo e conhecido na comunidade, que está apto a resolver rapidamente qualquer problema do cliente, independentemente do horário”, comenta o idealizador da empresa, que aponta essa proximidade e agilidade no atendimento como um dos principais diferenciais do negócio.

Veja também: Novo PGR, Aras defende que delações tenham ‘tratamento mais rigoroso’

 

Via
R7
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios