JustiçaLava JatoPolícia

Justiça homologa 2ª delação e solta suspeito de hackear Moro e Deltan

Ele estava detido desde julho no âmbito da Operação Spoofing.

Ojuiz Vallisley de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília, homologou acordo de delação premiada fechada entre o Ministério Público Federal e o DJ Gustavo Elias Santos, acusado de integrar o grupo de Walter Delgatti Neto, o “Vermelho”, que hackeou contas de autoridades do País, incluindo o ministro Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública) e o procurador da República Deltan Dallagnol.

Santos foi indiciado nesta quinta-feira, 19, pelos crimes de organização criminosa, invasão de dispositivo eletrônico e interceptação telefônica ilegal.

Com base na homologação, a Justiça Federal expediu alvará de soltura para livrar Santos da prisão preventiva. Ele estava detido desde julho no âmbito da Operação Spoofing. Durante buscas em sua residência, a Polícia Federal localizou R$ 100 mil em espécie. A defesa alega que se trata de investimentos em bitcoin.

Santos nega ter participado das ações de Vermelho, afirmando que ter dito ao amigo não invadir os telefones das autoridades. A defesa apresentou troca de mensagens do DJ com Vermelho, no qual ele avisaria o colega: “Cuidado que você pode ter problema com isso”.

O amigo de Vermelho é o segundo acusado da Spoofing a fechar delação premiada. No dia 03 de dezembro, o juiz Vallisney Oliveira mandou soltar o estudante de direito Luiz Henrique Molição, que também firmou acordo de colaboração com a Procuradoria. Molição, no entanto, deverá utilizar tornozeleira eletrônica.

Antes da delação, em depoimento prestado no dia 25 de setembro, Molição detalhou à Polícia Federal os bastidores das invasões dos celulares de procuradores da Operação Lava Jato. Segundo o estudante de direito, “Vermelho” tem um “perfil narcisista e sociopata”. Molição também detalhou como invadiu as contas de autoridades e fabricou uma mensagem a partir da conta da deputada federal Joice Hasselmann (PSL).

Via
POR ESTADAO
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios