Entretenimento

Livrar-se da culpa: cinco caminhos para conseguir perdoar a si mesmo

Ter um interlocutor confiável, diagnosticar a origem da culpa e ver o que se pode aprender com ela são algumas das medidas úteis para perdoar a si mesmo

Embora cada caso guarde suas características particulares, o processo de liberação da culpa tem algumas linhas mestras comuns. Conheça-as a seguir.

1) Ajuda bastante buscar apoio em um interlocutor confiável, em especial um terapeuta. O simples ato de verbalizar em voz audível os seus sentimentos já pode ser um passo importante no caminho do autoperdão.

Além disso, ao compartilhar com outra pessoa o seu “erro” (as aspas se explicam porque há casos que, vistos com isenção, não constituem necessariamente falhas), você notará que o seu ato – ou sentimento, ou pensamento – não era tão feio quanto parecia a princípio. Mas vale a pena repetir: é fundamental que a pessoa que esteja trocando ideias com você nessas ocasiões seja confiável.

2) É possível que perdoar-se exija alguns passos preliminares. Quem está com depressão, por exemplo, pode ter de trabalhar esse problema inicialmente. O mesmo ocorre com aqueles cuja autoestima anda pequena. Outras características que atrapalham a resolução do problema são o perfeccionismo e a tendência de estar no controle.

3) Pode acontecer de a pessoa se sentir culpada e desconhecer o motivo que a leva a isso. Nesses casos, o mais indicado é isolar-se e proceder a um exame cuidadoso de seus sentimentos.

Quando a causa é detectada, chega o momento de perguntar-se: “Por que não posso me perdoar? Do que preciso para me perdoar? Sentir culpa tem um outro propósito em termos do meu crescimento interior?”

Dificuldade como aprendizado
4) “Erro é aprendizado”, diz uma máxima japonesa aplicada à administração de empresas. Mas essa ideia não se limita aos negócios: ela se dissemina por todos os aspectos da vida.

É claro que fazer certo poupa tempo e desgasta menos o corpo e a mente, mas quem é que nasce sabendo tudo? Ao detectar a origem de sua culpa, pergunte-se o que você pode aprender com ela. Será que a dificuldade em perdoar-se advém de uma expectativa exagerada sua em termos de perfeccionismo? Imagine que outra pessoa cometeu o mesmo erro e pergunte-se: o que você diria a ela?

5) O processo de libertação da culpa tem duração variável. Quem já possui tendência a esse comportamento precisa aplicar rotineiramente o instrumental à sua disposição para aceitar seus erros e aprender com eles.

Nesses casos, ajuda imaginar como seria sua vida se você nunca se lamentasse pelos seus erros. Outras sugestões importantes são o exercício rotineiro do perdão, da tolerância e da renúncia.

Via
Planeta
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios