Notícias

Mãe de autista recebe mensagem de outra mãe negando convite para festa de criança: ‘Seu filho é problemático’

O menino tem apenas 2 anos de idade e a mãe que é de Campo Grande (MS) disse que ficou chocada com a mensagem. Mãe do aniversariante disse que as outras crianças "ficam incomodadas" com o garoto.

A mãe do pequeno Arthur, de apenas 2 anos de idade, viveu na última semana uma situação dolorosa que é comum a muitas mães com filhos que precisam de cuidados especiais. Sara Onori, de 22 anos, recebeu pelo WhatsApp a mensagem da mãe de um colega de escola do garoto dizendo que não convidaria Arthur, que é autista, para a festa da criança: “Seu filho é meio problemático”, disse a mulher.

Na mensagem a mãe da criança diz que a negativa do convite é porque “as outras crianças vão ficar incomodadas”. A mulher finaliza dizendo “Espero que você me entenda”.

Sara conta que estava em um grupo de mensagens com outras mães e em dado momento percebeu que elas falavam de uma festa. Ao perguntar que festa seria, recebeu a mensagem da mulher e ficou tão chocada que nem sequer respondeu: “Ela era minha amiga e tenho certeza que sabia da condição do Arthur, fiquei tão triste com a mensagem que estou até agora sem ação”, desabafou.

Mãe de menino autista recebeu mensagem de outra mãe dizendo que não convidaria garoto para festa porque ele é "meio problemático" — Foto: Arquivo pessoal

Mãe de menino autista recebeu mensagem de outra mãe dizendo que não convidaria garoto para festa porque ele é “meio problemático” — Foto: Arquivo pessoal

A família do menino mora em Campo Grande (MS). Os pais receberam o diagnóstico há pouco mais de 3 meses, após consulta com um neurologista. “Notei que ele levou mais tempo que as outras crianças para andar e falar”.

“O Arthur também tem fixação com movimentos repetitivos, então ele gosta de acender e apagar a luz, observar o ventilador, ver o movimento das rodas. Ele não é ‘problemático’, é sensível e só precisa de um pouco de paciência das pessoas ao redor para se encaixar.”

Sara conta que as mães que estavam no grupo são pessoas próximas e acompanham sua busca por entender o autismo desde as primeiras suspeitas com Arthur, incluindo a mãe que enviou a mensagem. “Depois do que aconteceu eu fui lembrando das coisas e percebi que ela nunca me deu apoio, então, acho que já havia um preconceito aí”, lamenta.

Ela compartilhou a foto com a família e o pai do menino. O print da mensagem foi publicado no facebook com um desabafo, o post foi compartilhado mais de 6 mil vezes e recebeu 4.420 mil comentários.

Arthur e a mãe, Sara, de Campo Grande (MS) — Foto: Sara Onori/Arquivo pessoal

Arthur e a mãe, Sara, de Campo Grande (MS) — Foto: Sara Onori/Arquivo pessoal

Os pais do menino trabalham fora e para que Arthur sinta o mínimo de desconforto possível, mantém uma rotina bem definida. Toda a família adaptou-se às necessidades do menino e o rodeiam de carinho e cuidado para que se sinta seguro. Apesar da atitude da mãe do garoto, Sara diz que não pretende levar o caso adiante:

“Eu não vou processá-la nem nada. Acho que só a repercussão que teve já é lição suficiente, o importante é que ela entenda o quanto sua atitude foi egoísta e melhore como pessoa.”

Os pais de Arthur têm um perfil no Instagram onde compartilham informações sobre autismo. Sara afirma que gostaria que a dor que sentiu com o comentário da mulher sirva para sensibilizar outros pais de modo que entendam a necessidade de conversar com os filhos sobre inclusão:

“A gente pensa que isso só acontece com os outros, mas o preconceito é algo ainda muito forte para as pessoas diante do que não é considerado ‘normal’ para elas. Autismo é um transtorno e não vou deixar isso atingir meu filho, ele é um menino como qualquer outro que vai brincar, se divertir e fazer amigos que o respeitem como ele é”, finaliza.

Via
G1
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios