Política

Maia quer votar pacote anticrime em até duas semanas

Texto que vai a voto foi bastante alterado pelo grupo de trabalho na Câmara

O presidente da Câmara , deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que espera votar o projeto do grupo de trabalho que analisou o pacote anticrime em duas semanas. Após reunião como ministro do Supremo Tribunal Federal ( STF ) Alexandre de Moraes , Maia disse que o projeto deve ter urgência aprovada na próxima semana.

Veja também: Dias Toffoli também desiste de acessar representações da Receita Federal

Em relação ao cronograma, a nossa intenção é poder votar a urgência na próxima semana. Se tiver acordo, votar o mérito. Se não, votar a urgência na próxima semana e o mérito na semana seguinte.

Maia foi ao STF acompanhando os deputados que integraram o grupo de trabalho que analisou as propostas do ministro da Justiça, Sérgio Moro , e uma proposta formulada por Moraes em 2017. O grupo concluiu o trabalho no final do mês passado.

A proposta deve ainda ser analisada pelo plenário da Casa antes de seguir para o Senado.

Veja também: Dias Toffoli também desiste de acessar representações da Receita Federal

Segundo a presidente do grupo de trabalho, deputada Margarete Coelho (PP-PI), o plenário vai decidir se alguns pontos retirados do projeto de Moro devem retornar ao texto.

São três projetos de lei, um de autoria do ministro Sérgio Moro e dois projetos do Alexandre de Moraes. Tudo isso está condensado em um único projeto. O plenário é sobreano para tomar as decisões. Entretanto, o grupo de trabalho entendeu que algumas questões devem tramitar por PEC, como a possibilidade de cumprimento de pena após condenação em segunda instância e a competência para investigar e punir milícias.

 

Via
O GLOBO
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios