Política

Merenda de R$ 55 começa a ser paga a alunos de SP nesta quarta-feira

Auxílio será pago a 732 mil estudantes da rede pública em extrema vulnerabilidade durante abril e maio. Pagamento será feito pela internet

pagamento da merenda escolar a estudantes da rede pública em situação de extrema vulnerabilidade começa a ser realizado nesta quarta-feira (8). O governador João Doria informou, durante coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, que o auxílio no valor de R$ 55 será feito a 732 mil alunos da rede pública estadual de ensino.

“É possível comprar uma cesta básica. É mais do que investimos na compra da merenda porque ao comprar em grande quantidade conseguimos ganhar em escalas. Lembrando que é um valor por estudante. Se a família tiver mais de um estudante será feito aos demais”, disse Rossieli Soares, secretário de educação do Estado.

O governador afirmou que a medida custará R$ 40 milhões e deve se repetir no mês de maio e enquanto se estender a pandemia do novo coronavíru. “Os repasses poderão ser estendidos enquanto as aulas estiverem suspensas. Neste momento é para 60 dias, mas se for necessário poderemos estender. O pagamento será feito pela internet.”

O secretário de Educação afirmou que os beneficiários serão estudantes que recebem o Bolsa Família e os que estiverem cadastrados no Cadúnico. “A alimentação será trabalhada com uma transferência de renda para famílias em situação de vulnerabilidade”, disse Rossieli. O alunos que terão acesso ao benefício representam, segundo o governo, 21% da rede.

Rossieli também explicou que quem não está no bolsa família receberá duas vezes o valor: R$ 110 no mês. Isso representa 113 mil alunos. Segundo ele, o investimento adicional será pago pela iniciativa privada.

O secretário explicou que as pessoas devem verificar se tem direito ou não ao auxílio. Para isso, as escolas devem ajudar a identificar quem tem direito ao pagamento. Depois, é preciso baixar o aplicativo do “Picpay”, criar uma conta no nome do responsável no Cadúnico e o recurso cairá em até 4 horas.

“Adotamos medidas de proteção para evitar desvio de informação e recursos para os que vivem em extrema pobreza”, afirmou o governador.

Aumento de fiscalização

Outra medida anunciada durante a coletiva de imprensa é que o diretor executivo do Procon-SP, Fernando Capez, assumirá por 210 dias o cargo de secretário extraordinário de Defesa do Consumidor, com o intuito de reforçar o controle de preços abusivos durante a pandemia do novo coronavírus no estado de São Paulo.

Segundo Doria, a alteração não implica em aumento de despesa para o estado, mas dá mais capacidade deliberativa no combate à cobrança de preços abusivos.

Desde a semana passada, o Procon estava com apoio da Polícia Militar para atuar contra a cobrança de preços abusivos na venda de botijão de gás. Os preços que costumam chegar a R$ 70, dispararam após a pandemia, chegando a R$ 130 no estado de São Paulo.

O governador afirmou que estão sujeitos a ações de fiscalização qualquer rede de supermercado, comércio e farmácia independentemente do tamanho e da localização.

Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios