Polícia

Miliciano suspeito de participação em morte de policial federal é preso

Homem conhecido como "Léo do Rodo" é chefe da milícia na comunidade de Antares, onde o agente Ronaldo Hereen foi morto a tiros na quinta (13)

A PRF (Polícia Rodoviária Federal) prendeu o miliciano conhecido como “Léo do Rodo” na saída de uma casa noturna na rodovia Presidente Dutra, altura de São de Meriti, na Baixada Fluminense, na madrugada deste sábado (15). Ele é apontado como suspeito de envolvimento na morte do policial federal Ronaldo Hereen, na quinta (13), em uma comunidade em Santa Cruz, zona oeste do Rio.

Segundo a polícia, “Léo do Rodo”, que seria o chefe da milícia nas favelas do Rola e Antares, estava acompanhado de outro homem e duas mulheres no momento da prisão. Com eles foram apreendidas duas pistolas e uma granada.

O inquérito sobre a morte do agente está sob a responsabilidade da Superintendência da PF no Rio. A instituição informou, por meio de nota, que o trabalho está sob sigilo para não atrapalhar a investigação.

Policial federal e colega foram atacados por criminosos armados em Antares

Policial federal e colega foram atacados por criminosos armados em Antares

Reprodução

O corpo de Ronaldo Hereen será enterrado nesta tarde no Cemitério São Francisco Xavier, em Niterói, Região Metropolitana do Rio. Colegas pretendem fazer uma homenagem para o agente, que estava há 20 anos da Polícia Federal.

Ronaldo Hereen e outro colega foram atacados por criminosos armados na comunidade de Antares na tarde de quinta (13). Eles estavam no local com uma viatura descaracterizada para entregar uma intimação. O veículo dos policiais foi alvejado por ao menos três tiros. Um dos disparos atingiu a cabeça de Ronaldo, enquanto o segundo agente conseguiu se abrigar numa casa.

Via
R7
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios