Notícias

Militares do Rio se juntam às equipes de acolhida de refugiados

Neste sábado (23), 165 militares do Comando Militar do Leste embarcam para Roraima, no norte do país, para se juntar à força tarefa da Operação Acolhida, ação humanitária que acolhe refugiados venezuelanos na área de fronteira do estado de Roraima.

Veja também: Corpo de Gugu Liberato deve chegar ao Brasil até quinta-feira, diz assessoria

O grupo será transportado pela Força Aérea Brasileira para formar o sétimo contingente da operação. Os militares vão embarcar em três aeronaves: uma com capacidade para 50 homens, outra vai levar 45 e um Hércules C-130 vai embarcar 70 militares.

Mais 435 militares que fazem parte do contingente devem embarcar ao longo da semana que vem, mas há fatores de logística, como as condições do tempo no Norte do país e disponibilidade de aeronaves para o embarque da tropa.

Os cerca de 600 integrantes do Exército passaram por duas semanas intensivas de preparação para desempenhar suas tarefas em conjunto com militares da Marinha do Brasil e da Força Aérea Brasileira, representantes do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), de organizações não governamentais (ONGs), agências civis, secretarias estaduais e municipais, entre outros, sob coordenação do Ministério da Defesa.

Veja também: Gugu Liberato ainda pode beneficiar até 50 pessoas com doação de todos os seus órgãos

A Operação Acolhida teve início em 21 de março do ano passado, nas cidades de Boa Vista e Pacaraima, fronteira com a Venezuela, com o objetivo de realizar a interiorização dos imigrantes em situação de vulnerabilidade, decorrente de fluxo migratório provocado por crise humanitária.

Até agora, já foram acolhidos mais de 14 mil refugiados em abrigos. Só na capital de Roraima foram instalados onze abrigos com capacidade para 6 mil pessoas. Recentemente, Manaus também recebeu um posto de triagem para facilitar a interiorização dos refugiados para outras cidades brasileiras.

Via
EBC
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios