DestaqueEducaçãoGeralPolítica

Ministro anuncia que avaliação do ensino básico custaria R$ 500 mil, mas valor é mil vezes maior

Assessoria enviou nota para comunicar que o valor foi incorretamente informado a Abraham Weintraub

BRASÍLIA – O ministro da Educação, Abraham Weintraub, anunciou em coletiva de imprensa que aaplicação do Sistema de Avaliação da Educação Básica ( Saeb ) em 2019 custará R$ 500 mil, mas a assessoria da pasta informou depois que o valor correto é mil vezes maior: R$ 500 milhões. A quantia é o dobro dos R$ 252,7 milhões gastos na última edição do Saeb, aplicado em 2017.

O valor de R$ 500 mil foi mencionando várias vezes pelo ministro durante a apresentação das regras do Saeb aos jornalistas nesta quinta-feira. Ele disse que era um valor pequeno em relação a outros gastos do governo e que as provas avaliarão 7 milhões de estudantes.

Weintraub chamou atenção para o valor, em diversos momentos, como um resposta do governo ao contribuinte, que precisa saber onde os impostos que paga estão sendo aplicados. Depois do anúncio oficial, a assessoria divulgou nota para corrigir o ministro em relação ao valor.

Em nota, o Instituto Nacional dos Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) informou que “o valor de R$ 500 mil foi incorretamente apresentado ao ministro”. O Saeb deste ano, de R$ 500 milhões, custará o dobro do gasto na última edição, de 2017. Naquele ano, porém, não havia provas de ciências para alunos do 9º ano, avaliação da etapa de ensino infantil e do 2º ano do fundamental, que foram incluídas em 2019.

Na coletiva, Weintraub se negou a comentar os cortes nas universidades federais, bem como as declarações dadas à imprensa nesta semana de que bloquearia dinheiro de instituições que fizessem “balbúrdia”, “bagunça”, “evento ridículo”, começando pela universidades de Brasília (UnB), Federal da Bahia (UFBA) e Federal Fluminense (UFF).

– Eu vou ter um grande prazer de conversar sobre esses assuntos. Mas hoje é para falar de Saeb – afirmou o ministro ao GLOBO ao ser questionado.

Via
POR O GLOBO
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios